(Fonte da imagem: Reprodução/AD.nl)

Que tal economizar uma boa graninha no seu dia a dia utilizando a tecnologia como sua principal aliada? Embora muitos não se deem conta disso, é perfeitamente possível poupar seu dinheiro utilizando versões gratuitas – ou ao menos mais baratas – de softwares (e até mesmo hardwares!) que você usa diariamente em casa, na escola ou no trabalho.

Confira abaixo nossa seleção com oito dicas preciosas para quem quer começar hoje mesmo a economizar algumas cédulas em sua rotina digital.

1) Windows x Ubuntu

Substituição clássica para amantes do movimento open source e para quem deseja ter maior “liberdade” sobre o sistema operacional de seu computador. Sendo a distribuição mais famosa do Linux, o Ubuntu divide opiniões quanto à sua qualidade e versatilidade – enquanto muitos o amam, um tanto de outros o odeiam.

Gostos pessoais à parte, é difícil discordar que o SO é uma excelente alternativa gratuita ao custoso sistema desenvolvido pela Microsoft. Adotá-lo em seu computador pode ser o primeiro passo para economizar ao menos R$ 359 (preço sugerido da versão mais simples do Windows 8).

(Fonte da imagem: Reprodução/PCWorld)

2) Microsoft Office x LibreOffice

É difícil encontrar quem viva sem um processador de textos, um visualizador de planilhas e um gerenciador de emails. Tratam-se de ferramentas essenciais para qualquer pessoa que passe um tempo razoável na frente do computador e precise gerar ou compartilhar conteúdos com certa frequência.

Em vez de adquirir uma cópia da famigerada suíte Office desenvolvida pela Microsoft – cuja versão mais atualizada custa ao menos R$ 199 a licença –, é perfeitamente possível recorrer ao gratuito LibreOffice. O pacote (totalmente open source) traz diversos aplicativos de escritório que você necessita para qualquer tipo de trabalho.

(Fonte da imagem: Divulgação/LibreOffice)

3) Adobe Photoshop x GIMP

Se você não trabalha profissionalmente com manipulação de imagens e otimização de fotografias, não há muitos motivos para você pagar caro em uma licença do Adobe Photoshop; em vez disso, utilize o software de código aberto GIMP. Além de ser grátis e leve, o programa possui versões tanto para Windows quanto para Linux.

4) Adobe Illustrator/CorelDRAW x Inkscape

Assim como o item anterior, o Illustrator e o CorelDRAW são utilitários de desenho voltados exclusivamente para profissionais que trabalhem ativamente com ilustração e/ou identidade visual de empresas (logotipos, peças publicitárias etc.). Outros tipos de usuários podem substituí-los pelo Inkscape, que possui recursos bem parecidos em uma interface bastante amigável.

(Fonte da imagem: Divulgação/Inkscape)

5) Adobe InDesign x Scribus

A verdade é que poucas pessoas conhecem o Scribus, sendo obrigadas a recorrer ao Adobe InDesign no momento em que precisam de um software desenvolvido especialmente para trabalhos de diagramação e editoração eletrônica. Trata-se de um utilitário open source e totalmente gratuito, perfeito para quem pretende fazer jornais, revistas e outras publicações impressas variadas. Está disponível para Windows, Mac OS, Linux e Haiku.

(Fonte da imagem: Divulgação/Scribus)

6) FL Studio x Ardour

Embora o FL Studio (anteriormente conhecido como Fruity Loops Studio) seja um dos mais populares e respeitados sequenciadores digitais do mercado, não são todos os usuários que possuem condições de desembolsar US$ 99 (cerca de R$ 200) em uma licença completa do software. Se você faz parte dessa parcela de consumidores, o ideal é recorrer ao Ardour, programa gratuito e com funcionalidades para profissional nenhum botar defeito.

Ampliar (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

7) SMS x WhatsApp (ou Viber)

Essa é uma dica que – mesmo que involuntariamente – muitos ao redor do mundo já estão seguindo. A chegada dos aplicativos de bate-papo instantâneo para dispositivos móveis (como o WhatsApp, o Viber ou o KakaoTalk) está aos poucos matando os clássicos SMS – afinal, quem iria preferir pagar cerca de R$ 0,30 para enviar uma única mensagem quando é possível mandá-la de graça?

(Fonte da imagem: Divulgação/WhatsApp)

8) TV a cabo x Miro (ou Netflix)

Todo mundo gosta de assistir à TV, mas nem todos têm condição de pagar a mensalidade de uma assinatura com canais exclusivos e de maior qualidade. Nesse caso, o mais recomendado é utilizar o Miro, um software gratuito que permite ao usuário sintonizar e conferir seus programas prediletos tanto da televisão aberta quanto da fechada.

Além disso, o utilitário é bastante leve (o instalador pesa menos do que 300 KB) e está disponível para Windows, Mac e Linux. Outra alternativa é recorrer ao famoso Netflix, que conta com uma grande variedade de filmes e seriados por um preço razoável.

(Fonte da imagem: Reprodução/TalkAndroid).....

E então, gostou? Se você utiliza outros softwares alternativos e gratuitos além dos citados na matéria, não deixe de mencioná-los nos comentários!

Cupons de desconto TecMundo: