Crianças encontram falha no Linux Mint que permite invasões

1 min de leitura
Imagem de: Crianças encontram falha no Linux Mint que permite invasões
Imagem: Olhar Digital/Reprodução
Avatar do autor

Desenvolvedores do Linux Mint reconheceram uma falha no sistema, após duas crianças conseguirem destravar o sistema operacional para jogar. A vulnerabilidade, que possibilita ataques cibernéticos, foi divulgada em um relatório de bug do GitHub.

Na plataforma, um usuário identificado pelo nome robo2bobo declarou que "algumas semanas atrás, meus filhos queriam hackear meu desktop Linux, então eles digitaram e clicaram em todos os lugares enquanto eu estava atrás deles assistindo". O problema é que a façanha aconteceu enquanto o computador estava com o protetor de tela ativo.

Em seu relato, ele afirmou que as crianças realizaram a ação não apenas uma vez, mas duas —  o que torna o problema ainda mais preocupante. Além disso, ele teria enfrentado dificuldades para bloquear o computador após ação. Para tanto, foi preciso recorrer à abertura de um shell e executar ações manualmente. Assim como as crianças aproveitaram a vulnerabilidade para jogar, hackers também podem fazê-lo para obter acesso ilimitado à maquina. 

Linux libera patch de correção

a  Pplware Sapo/Reprodução

Em um comunicado, a Linux informou que um patch de correção foi liberado para os usuários na última quarta-feira (13). Segundo o desenvolvedor líder do sistema operacional, Clement Lefebvre, o problema surgiu após o lançamento de outro patch que resolveu um bug denominado CVE-2020-25712.

Lefebvre explicou que a vulnerabilidade acontece até o chamado libcaribou, um componente do teclado na tela (OSK) que acompanha o Cinnamon, interface de desktop presente no Linux Mint. O desenvolvedor informou que o desbloqueio ocorre o usuário pressiona a tecla “e”.

Por fim, ele esclareceu que a Linux está analisando maneiras para permitir que o usuário desative o teclado de tela. Porque isso, segundo ele, reduziria a probabilidade de bugs futuros.

Fontes

Crianças encontram falha no Linux Mint que permite invasões