Facebook é multado na Coreia do Sul por compartilhar dados de usuários

1 min de leitura
Imagem de: Facebook é multado na Coreia do Sul por compartilhar dados de usuários
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

Um órgão regulador da Coreia do Sul multou o Facebook em 6,7 bilhões de won (ou R$ 32,2 milhões em conversão direta de moeda) por compartilhar informações de usuários da rede social com outras empresas sem a autorização dos cadastrados.

A denúncia foi realizada pela Comissão de Proteção às Informações Pessoais (PIPC) e afirma que o Facebook violou a privacidade de até 3,3 milhões de usuários da plataforma no país, o que representa cerca de 16% do total da base de acessos na Coreia do Sul.

As informações enviadas incluem nome, endereço, data de nascimento, experiências de trabalho, cidade-natal e status de relacionamento. Elas eram coletadas quando os usuários se cadastravam em determinados serviços usando a conta no login, como em testes ou sites, por exemplo. O compartilhamento com terceiros ocorreu entre maio de 2012 e junho de 2018 envolvendo até 10 mil empresas e, em alguns casos, até informações pessoais de amigos dos contatos foram compartilhados com essas outras companhias.

Vem mais por aí

Para outras empresas e serviços, os dados podem ser usados para anúncios direcionados ou até pesquisas eleitorais — como o caso da Cambridge Analytica, denunciado em 2018 e que também rendeu multas ao Facebook ao redor do mundo.

Essa é a primeira de provavelmente várias medidas da PIPC em relação ao compartilhamento de dados na Coreia do Sul, já que a comissão foi oficializada em agosto deste ano. Em 2019, a plataforma sofreu a maior pena financeira da sua trajetória até o momento, com uma multa de US$ 6 bilhões nos EUA.

A resposta do Facebook

Em resposta à agência de notícias Reuters, uma porta-voz do Facebook na Coreia do Sul afirmou que a empresa está cooperando na medida do possível com o processo de investigação e lamenta que a comissão tenha utilizado os meios de investigações criminais no processo. A companhia ainda vai analisar o veredito.