PF investiga invasões a câmeras residenciais e babás eletrônicas

1 min de leitura
Imagem de: PF investiga invasões a câmeras residenciais e babás eletrônicas
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

Uma investigação em curso da Polícia Federal (PF) descobriu que hackers estão invadindo câmeras de segurança residencial e equipamentos de babá eletrônica em dezenas de cidades brasileiras, de diversas regiões, colocando a intimidade das famílias em risco.

A Unidade de Repressão a Crimes de Ódio e Pornografia Infantil da PF identificou, até o momento, invasões a 141 dispositivos instalados em residências de 35 municípios. Conforme a instituição, os invasores estão se aproveitando do período de quarentena em decorrência da pandemia do coronavírus para acessar imagens internas das casas e gravar a rotina das pessoas.

Os investigadores apontam que as invasões acontecem por meio da deepweb, acessando as imagens exibidas pelos equipamentos como câmeras IP em tempo real. De acordo com eles, o objetivo dos cibercriminosos seria usar as imagens obtidas de maneira ilegal para realizar algum tipo de extorsão com as famílias que se tornaram alvo deles.

Os criminosos estão acompanhando a rotina de algumas famílias durante a quarentena pela internet.Os criminosos estão acompanhando a rotina de algumas famílias durante a quarentena pela internet.Fonte:  Freepik 

Ainda conforme a PF, a investigação está em curso, contando com a colaboração de órgãos internacionais de segurança, e com isso o número de famílias e cidades atingidas pode ser maior que o relatado até o momento. Por esse motivo, ela não pode dar maiores detalhes a respeito de autores e modus operandi, agora.

Dicas para se proteger

Quem usa câmeras de segurança residenciais e babás eletrônicas deve tomar alguns cuidados para se proteger das invasões. Uma das dicas passadas pela Polícia Federal é verificar, junto ao fabricante do seu equipamento, se há atualizações para corrigir problemas de segurança.

Para aqueles que acessam as câmeras à distância, a recomendação é rever as configurações deste recurso, além de trocar as senhas e verificar as credenciais de acesso, para saber quais usuários estão autorizados.

Caso o usuário não tenha conhecimentos para modificar essas configurações, a sugestão é desligar as câmeras e solicitar a ajuda de um técnico especializado para realizar os ajustes de forma segura.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
PF investiga invasões a câmeras residenciais e babás eletrônicas