Apple desativa revisão de voz da Siri para evitar problemas de privacidade

1 min de leitura
Imagem de: Apple desativa revisão de voz da Siri para evitar problemas de privacidade
Avatar do autor

Para evitar transtornos com leis de proteção aos dados, a Apple desativou a revisão de voz da Siri momentaneamente. O recurso serve para coletar amostras da voz dos usuários e enviá-las para análise, com o objetivo de melhorar o reconhecimento dos comandos. No entanto, ele não pode ser desabilitado e funciona de forma automática.

Há algumas semanas, a companhia foi acusada de invadir a privacidade de seus clientes, pois surgiram denúncias de que não apenas as falas de comandos foram captadas, mas também diálogos confidenciais (inclusive o som de casais fazendo sexo).

(Fonte: Apple/Divulgação)

O Assistente da Google e a Amazon Alexa têm recurso parecido, mas que avisa o usuário sobre sua existência, assim como permitem ser desabilitados. Para evitar um escândalo ainda maior, a Apple voltou atrás e está desativando a gravação da Siri até lançar uma atualização que dê aos usuários a opção de desligá-la.

Apple se defende

A empresa emitiu um comunicado confirmando a mudança no comportamento da Siri, mas defendeu as práticas atuais. A Apple alega que menos de 1% das gravações é analisado, sendo que nenhuma delas seria associada à conta do usuário, supostamente impedindo a sua identificação por completo.

Disfarçando a gafe

Após as denúncias e o escândalo na mídia, a empresa parece estar correndo para resolver o problema, já que sempre usou a defesa da privacidade de seus usuários como um mote. Porém, é inevitável que alguns questionem o fato de um recurso que coleta informações pessoais não ter a opção de ser desabilitado.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Apple desativa revisão de voz da Siri para evitar problemas de privacidade