Vídeo mostra como aconteceu ataque ao Telegram de Sergio Moro

1 min de leitura
Imagem de: Vídeo mostra como aconteceu ataque ao Telegram de Sergio Moro
Fonte: Cristiano Mariz/VEJA
Avatar do autor

A Polícia Federal prendeu na quarta-feira (23) quatro suspeitos de terem hackeado o ministro Sergio Moro e outras autoridades. Enquanto as investigações continuam, a polícia afirma que o acesso ao aplicativo de mensagens Telegram, usado anteriormente por Moro, aconteceu por meio de uma falha na rede das operadoras de telefonia.

Os suspeitos teriam capturado o código de acesso [token] do Telegram de Moro ao tentar sincronizar a conta em um computador, no serviço web do Telegram. O ministro Sergio Moro não contava com verificação em dois passos [duplo fator de autenticação], então, bastou ter o código de acesso em mãos para logar na conta. Por isso, é importante que você ative o recurso em todos os aplicativos e serviços possíveis: ative PINs, códigos, duplos fatores.

Vídeo do ataque

O pesquisador Rodrigo Laneth, ao lado de Davidson Francis, Gustavo Oliveira e Shrimp, integrantes da Radialle, buscaram recriar o ataque passo a passo da maneira divulgada pela Polícia Federal.

Como se proteger

Segundo os pesquisadores, a utilização da autenticação de dois fatores (2FA) é sempre recomendada: embora ela não possa impedir a criação de uma nova conta no Telegram, como ocorreu no caso de Moro, ela evitaria o acesso a uma conta já existente.

“Fora do Telegram, é importante configurar suas contas para utilizar formas mais robustas de 2FA do que o recebimento de código por ligação, uma vez que estes estariam vulneráveis ao mesmo método. E, devido a outras possibilidades de ataque, o uso de SMS também não é recomendado. As alternativas incluem o uso de um aplicativo como o Google Authenticator ou de um dispositivo de autenticação por hardware como o YubiKey”, escreve Laneth. “No mais, deve-se desativar o serviço de caixa postal caso ele não seja utilizado. Consulte sua operadora em relação aos procedimentos para desativação”.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Vídeo mostra como aconteceu ataque ao Telegram de Sergio Moro