Reconhecimento facial induz polícia ao erro, que detém mulher inocente

1 min de leitura
Imagem de: Reconhecimento facial induz polícia ao erro, que detém mulher inocente
Avatar do autor

A Polícia Militar do Rio de Janeiro foi induzida ao erro pelo sistema de reconhecimento facial utilizado em Copacabana (RJ) e acabou detendo uma mulher inocente.

O sistema alertou que uma foragida da Justiça, condenada por espancar até a morte um homem, foi reconhecida na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. Chegando ao local, após colher informações no telão do CICC (Centro Integrado de Comando e Controle), a polícia levou a suspeita para a 12ª DP. Na delegacia, foi constatado o erro do sistema de reconhecimento facial e mulher [que era apenas uma moradora do bairro], uma hora depois, foi liberada.

25 câmeras identificam suspeitos analisando distância entre olhos e tamanho do crânio

Segundo o porta-voz da PM, coronel Mauro Fliess, o erro aconteceu porque o sistema de reconhecimento facial trabalha com estatística. Ainda, que os policiais fazem uma identificação no loca, mas, em casos de dúvidas, suspeitos são levados para a delegacia, nota O Dia. “Assim que o sistema aponta 70% de possibilidade de a pessoa ser a procurada, uma viatura é direcionada ao local. A abordagem é feita com respeito aos Direitos Humanos e com cautela do agente”, afirmou Fliess.

Hoje, Copacabana conta com um sistema de reconhecimento facial com 25 câmeras que identificam suspeitos analisando distância entre olhos e tamanho do crânio.

Cupons de desconto TecMundo:

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Reconhecimento facial induz polícia ao erro, que detém mulher inocente