Prefeituras pagaram mais de US$ 1 milhão para hackers após ataque

1 min de leitura
Imagem de: Prefeituras pagaram mais de US$ 1 milhão para hackers após ataque
Avatar do autor

O mês de junho foi tenebroso para duas cidades dos Estados Unidos, localizadas na Flórida. Riviera Beach e Lake City sofreram ataques de ransomware, tiveram computadores criptografados e acabaram pagando mais de US$ 1,1 milhão para os cibercriminosos responsáveis buscando uma liberação dos arquivos e sistemas.

Ransomwares bloquearam serviços essenciais; até a polícia foi afetada

Lake City acertou o valor na última segunda-feira (24) e pagou 42 bitcoins (US$ 573 mil) para os hackers que trancaram celulares e sistemas de email da prefeitura via ransomware. A infecção teve início no dia 10 de junho, e o ransomware entrou na prefeitura por meio de um email malicioso aberto por funcionário.

Apesar da infecção, dados de cidadãos estadunidenses não vazaram com o ataque.

Em Riviera Beach, o ataque foi mais pesado e chegou a trancar sistemas da polícia local: a linha 911 ficou bloqueada por um tempo. Para resolver rápido a situação, a prefeitura pagou cerca de US$ 600 mil em bitcoins aos cibercriminosos.

O ransomware é perigoso: assim que entra no PC, sequestra [criptografa] todos os arquivos e exige uma quantia em Bitcoin para a liberação.

Para se proteger de ransomwares, acompanhe os pontos abaixo:

  • Atualize seu software (priorizando sistemas operacionais) o mais rápido possível. A maioria dos exploits utilizados pelos cibercriminosos foram desenvolvidos para explorar vulnerabilidades conhecidas, e muitas vezes, já corrigidas. Portanto, os usuários de aplicativos desatualizados estão em risco.
  • Proteja seus sistemas dos sequestradores com a ajuda de uma solução de segurança especializada.
  • Forneça treinamento para seus funcionários em cibersegurança, pois devem aprender a reconhecer e evitar as técnicas de engenharia social usadas pelos invasores.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Prefeituras pagaram mais de US$ 1 milhão para hackers após ataque