Imagem de: Celular de juíza que substituiu Moro na Lava-Jato teria sofrido invasão
Fonte: Rodolfo Buhrer/La Imagem/Fotoarena/Folhapress

Celular de juíza que substituiu Moro na Lava-Jato teria sofrido invasão

1 min de leitura
Avatar do autor

Ao que parece, a onda de invasões de celulares de pessoas envolvidas com a política recente do país não parou. Após as denúncias de invasão e vazamento de conversas do Ministro da Justiça e Segurança Nacional Sérgio Moro e do procurador da República Deltan Dallagnol, agora foi a vez da juíza Gabriela Hardt, substituta de Moro na Operação Lava-Jato, afirmar que teve o celular invadido por hackers.

Por meio de uma nota, a Justiça Federal relatou o acontecimento: "A juíza não verificou informações pessoais sensíveis que tenham sido expostas e entende que a invasão de aparelhos de autoridades públicas é um fato grave que atenta contra a segurança de Estado e merece das autoridades brasileiras uma resposta firme. Da mesma forma, a juíza federal espera que o Poder Judiciário, do qual faz parte, perceba tal gravidade e adote medidas firmes para repelir tais condutas".

Novamente, teria sido o aplicativo Telegram o alvo dos supostos invasores

Segundo o relato da juíza, a invasão teria acontecido “na mesma época e aparentemente pela mesma pessoa/grupo que invadiu os aparelhos dos procuradores". Novamente, teria sido o aplicativo Telegram o alvo dos supostos invasores, que podem ter tido acesso a conversas pessoas e outros conteúdos privados da juíza.

As autoridades ainda buscam os responsáveis pelas invasões por meio de quatro inquéritos abertos pela Polícia Federal, que suspeita de um ataque orquestrado.

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Celular de juíza que substituiu Moro na Lava-Jato teria sofrido invasão