Os perfis falsos controlados por computadores são a nova arma para controle de narrativa há algum tempo. Empresas e bancos se valem desse modus operandi, por exemplo, para crescer a base de fãs e usuários. Além das companhias, políticos e partidos também utilizam os bots para compartilhar notícias verdadeiras e falsas, mas que de alguma maneira sejam benéficas para si.

Segundo pesquisa da InternetLab, os candidatos à presidência do Brasil Geraldo Alckmin, Jair Bolsonaro e Marina Silva são os políticos brasileiros com maior porcentagem de bots nas redes sociais.

Entre os candidatos de maior expressão, Geraldo Alckmin é o campeão no uso de bots

Álvaro Dias (Podemos) lidera a lista: 64,3% de seus seguidores são robôs. Em segundo lugar, Geraldo Alckmin (PSDB) com 45,8%. Terceiro, Marina Silva (Rede) com 36,2% e, em quarto, Jair Bolsonaro (PSL) com 33,8%. O TOP 5 é fechado com Ciro Gomes (PDT) e seus 32,1%.

Do outro lado da tabela, o campeão em “confiabilidade” é Guilherme Boulos (PSOL), com 14%, João Amoedo (Novo) com 21% e Luís Inácio Lula da Silva (PT) com 22,1%.

“Sem pretensões de trazer conclusões sobre compras e usos de bots, nosso principal objetivo foi verificar se haviam bots seguindo os pré-candidatos e, se sim, quantos eles seriam. Para isso, desenvolvemos um sistema a partir das APIs7 públicas do Twitter e do Botometer, que, a partir de uma amostra aleatória dos seguidores de cada um dos candidatos, permitiu calcular a probabilidade de cada um deles ser bot", segundo o InternetLab.

O funcionamento de bots nas plataformas é muito diversificado, nem sempre eles são objeto de compra

"Com esse conjunto de dados elaboramos três tipos de análises: estimamos estatisticamente a quantidade de prováveis robôs que seguem cada pré-candidato; mapeamos essa rede seguidores bots com base em quem eles seguem em comum; e, por fim, identificamos a ordem na qual cada conta - seja ela bot ou não - seguiu determinado pré-candidato e cruzamos essa informação com a probabilidade de cada uma delas ser totalmente automatizada ou não”, disse o InternetLab

botsPorcentagem de seguidores falsos

No compasso de “quantos mais seguidores mais bots”, o gráfico fica da seguinte maneira ao unirmos seguidores reais e robôs:

porcentagemPorcentagem entre seguidores reais e falsos

Em números

Quando falamos sobre números médios de seguidores falsos, o TOP 3 fica da seguinte maneira:

  • Geraldo Alckmin: 455.041
  • Marina Silva: 693.191
  • Jair Bolsonaro: 401.855

E os candidatos com menos seguidores falsos são:

  • Guilherme Boulos: 9.185
  • João Amoêdo: 14.532
  • Ciro Gomes: 53.003

“O funcionamento de bots nas plataformas é muito diversificado, nem sempre eles são objeto de compra, podendo seguir usuários e interagir com conteúdos com base em palavras-chave, assunto, conjuntos de interesse etc. Mapear esses bots a partir de quem eles seguem em comum pode levantar pistas sobre isso. Há mais chances de que eles sejam ativados a partir de palavras-chave ou temas em comum, por exemplo, se eles seguem mais de um perfil com características semelhantes”, adiciona o InternetLab.

Cupons de desconto TecMundo: