Phillip Durachinsky, 28, é um norte-americano que foi preso por utilizar o malware espião FrutiFly. O FruitFly é um malware que tem a capacidade de vigiar usuários de notebooks e computadores Mac pela webcam. Agora, a justiça norte-americana também acusa Durachinsky de produzir pornografia infantil, de acordo com a Forbes.

Segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, o acusado vem instalando o spyware há mais de 13 anos em diferentes dispositivos para "assistir, ouvir e obter dados pessoais de vítimas desconhecidas". Durachinsky, de acordo com o processo, foi além: invadiu escolas, empresas e até departamentos policiais e governamentais.

Por mais de 13 anos, Phillip Durachinsky alegadamente infectou com malware os computadores de milhares de americanos

O malware FruitFly serve para roubar arquivos do computador, podendo até exercer um certo controle remoto do aparelho. Dessa maneira, um cibercriminoso pode roubar fotos, vídeos, textos, senhas e dados, além de invadir webcams e microfones para acompanhar a atividade de donos de computadores com macOS.

"Por mais de 13 anos, Phillip Durachinsky alegadamente infectou com malware os computadores de milhares de americanos e roubou seus dados e comunicações mais pessoais", disse o procurador-geral adjunto dos EUA.

São poucos os detalhes sobre pornografia infantil nos documentos divulgados, porém, trechos comentam que Durachinsky "usou menores para conduta sexualmente explícita", sabendo que "compartilharia" isso com outras pessoas.

Phillip DurachinskyPhillip Durachinsky

  • A Apple não comentou o caso.

Cupons de desconto TecMundo: