O FBI não gosta que a população se comunique via ferramentas encriptadas. A afirmação foi clara durante um debate realizado na terça-feira (09), nos Estados Unidos. Segundo Christopher Wray, novo diretor do FBI, as autoridades não conseguem acessar os dados de dispositivos por causa da "poderosa encriptação".

O FBI não conseguiu acessar o conteúdo de 7,8 mil dispositivos em 2017

"Isso é um problema urgente de segurança pública", disse Wray. "Nós enfrentamos um enorme e crescente número de casos que dependem fortemente, senão exclusivamente, de evidências eletrônicas".

O diretor do FBI adiciona que a agência governamental não conseguiu acessar o conteúdo de 7,8 mil dispositivos em 2017, mesmo com ferramentas apropriadas e autorizações judiciais. Segundo Wray, para acessar os dispositivos, seria necessária uma "inovação significativa" e que ele "não compra" a ideia de que uma invasão seja impossível.

Vale notar que, um acesso autorizado judicialmente, pode ser feito de diversas maneiras. McAfee, anteriormente, citou que o FBI apenas quer um show, os holofotes, isso porque é fácil invadir os smartphones e tablets recolhidos de diversas maneiras.

Faz tempo que o FBI pede para empresas como Apple, WhatsApp, Facebook e Google o desenvolvimento de um backdoor nos produtos e sistemas

McAfee fez as afirmações durante a treta FBI x Apple. O cara comentou o seguinte: "Com todo o respeito a Tim Cook e à Apple, mas eu trabalho com a equipe dos melhores hackers do planeta. Eles são todos os prodígios com talentos que desafiam a compreensão humana. Eu aposto que podemos quebrar a criptografia do iPhone de San Bernardino. Este é um fato puro e simples. Então aqui está a minha oferta para o FBI. Vou, de forma gratuita, descriptografar as informações no telefone com a minha equipe. Usaremos principalmente a engenharia social, o que levará três semanas. Se vocês aceitarem a minha oferta, então não vão precisar pedir à Apple para colocar um backdoor no seu produto, o que será o começo do fim da América".

Christopher WrayChristopher Wray (REUTERS/Jonathan Ernst)

Faz tempo que o FBI pede para empresas como Apple, WhatsApp, Facebook e Google o desenvolvimento de um backdoor nos produtos e sistemas. Dessa maneira, o FBI poderia acessar de maneira mais fácil o conteúdo desejado "via autorização judicial". Contudo, as empresas não desenvolvem o backdoor alegando que, se ele caísse em mãos erradas, todos os usuários estariam desprotegidos.

Cupons de desconto TecMundo: