Todo mundo sabe que Mark Zuckerberg não está por trás apenas do Facebook e do Instagram, mas também do WhatsApp, talvez o mais popular aplicativo de comunicação direta usado hoje em dia. É de se esperar, nesse mundo onde informações sobre usuários valem mais do que dinheiro, que esses aplicativos conversem entre si, mas aparentemente isso não vai mais ser permitido na França.

Após o WhatsApp ter seus termos de serviço atualizados para permitir que dados de usuários sejam compartilhados com o Facebook, uma instituição administrativa regulatória francesa chamada CNIL (Commission Nationale de l'Informatique et des Libertés ou Comissão Nacional de Informática e Liberdades em português) considerou a prática danosa e deu um mês para que o aplicativo de comunicação pare com a prática.

Inteligência de negócios ou exposição de privacidade?

Não é a primeira vez que tanto o Facebook quanto o WhatsApp têm problemas com o compartilhamento de dados privados de seus usuários

Segundo o WhatsApp, esse compartilhamento de dados acontece para fornecer publicidade direcionada para os usuários e outras funções de segurança. A CNIL chegou à conclusão que, enquanto a intenção do WhatsApp em melhorar as medidas de segurança é válida, a razão da inteligência de negócios do aplicativo não era tão aceitável, pois violava a privacidade dos usuários, que não têm opção de não ter seus dados compartilhados sem desinstalar o app.

Não é a primeira vez que tanto o Facebook quanto o WhatsApp têm problemas com o compartilhamento de dados privados de seus usuários, principalmente na União Europeia, que é mais reticente com essa prática. Caso a empresa não altere esse procedimento, ela poderá enfrentar sanções severas dos responsáveis pela privacidade dos usuários no velho continente.

Cupons de desconto TecMundo: