A FedEx, uma das mais conhecidas empresas de entrega do mundo, adquiriu em junho deste ano a TNT, outra grande companhia do setor logístico. E se o movimento dava a impressão de bons ventos pela frente, a situação de imediato é bem mais complicada do que se imaginava. Isso porque a TNT foi uma das empresas vitimadas pela ação do ransomware NotPetya, o que gerou um impacto de US$ 300 milhões na receitas da corporação.

A informação consta no relatório financeiro do terceiro trimestre de 2017 divulgado nesta semana. Apesar de todos os servidores da TNT terem sido devidamente recuperados, o golpe foi sentido nas finanças da FedEx e fez a companhia abrir mão das previsões de ganhos para o próximo período.

NotPetyaNotPetya sequestrou o computador de muita gente em junho deste ano.

Além de causar esse impacto graças aos atrasos gerados pelo ciberataque, o NotPetya também fez com que aumentasse o custo total de integração dos sistemas da TNT aos da FedEx. Ao todo, esse valor chegou a marca de US$ 350 milhões, US$ 75 milhões a mais do que o inicialmente previsto. A divulgação do relatório financeiro fez as ações da FedEx caírem 1,5%.

O NotPetya foi deflagrado em 27 de junho deste ano e atingiu hospitais e diversas empresas ao redor do mundo, fazendo da FedEx uma de suas maiores vítimas. Como acontece em outros ataques do tipo, hackers bloqueiam sistemas e exigem o pagamento de grandes quantias em bitcoin para liberar a chave de desbloqueio.

Cupons de desconto TecMundo: