A WikiLeaks sofreu um deface na madrugada desta quinta-feira (31). De acordo com diversas imagens no Twitter, o grupo hacker OurMine tomou responsabilidade pela alteração da página inicial do WikiLeaks.org e ainda comentou que realizou a ação como "resposta de um desafio". Enquanto isso, a própria WikiLeaks publicou que não teve os servidores invadidos e negou um possível ataque.

O grupo hacker OurMine vem ganhando momento: já invadiu contas de Mark Zuckerberg (CEO do Facebook), Jack Dorsey (CEO do Twitter), Sundar Pichai (Google), da Sony PlayStation Network (PSN) e da HBO, cuja produção mais conhecida atualmente é "Game of Thrones".

Acredita-se que o grupo OurMine realizou um ataque conhecido como DNS Spoofing

A WikiLeaks é reconhecida mundialmente como a principal plataforma de vazamentos de emails diplomáticos, ferramentas hackers usadas por agências de inteligência e outros segredos governamentais. 

Até o momento, acredita-se que o grupo OurMine realizou um ataque conhecido como DNS Spoofing. Ou seja: um hacker toma controle de um servidor DNS e altera os valores para puxar o tráfego para outro domínio. Ainda não se sabe exatamente quanto tempo o deface ficou ativo na WikiLeaks.

O grupo afirma ser "white hat", ou seja, não trabalham invadindo domínios para lucro próprio

Sobre o grupo OurMine, existem indicações de que são hackers da Arábia Saudita, segundo o The Hacker News. O grupo afirma ser "white hat", ou seja, não trabalham invadindo domínios para lucro próprio. Contudo, após invadir contas, o OurMine sugere que as vítimas contratem seus serviços.

A ação do grupo vem mexendo com os ânimos de algumas células Anonymous na internet. Dessa maneira, várias células começaram a divulgar as supostas identificações dos hackers que fazem parte do OurMine — por sua vez, o grupo comentou que as informações estavam incorretas.

  • Abaixo, você acompanha a imagem do deface

DNS Spoofing

Cupons de desconto TecMundo: