Como é uma prática comum no mercado de tecnologia, a Microsoft lançou uma nova fase do programa de caça aos bugs na última versão do Windows e dos softwares da empresa. O intuito é conseguir identificar qualquer vulnerabilidade no sistema operacional e, para incentivar os caçadores, a companhia vai oferecer recompensas significativas, que podem chegar a US$ 250 mil.

Uma das motivações para a iniciativa é proteger o sistema e corrigir problemas, por exemplo, execução remota de códigos, elevação de privilégios e até mesmo falhas de design na estrutura do SO que podem deixá-lo vulnerável a ataques críticos, como os que aconteceram recentemente envolvendo os ransomwares WannaCry e Petya.

“A segurança sempre está mudando e nós priorizamos tipos diferentes de vulnerabilidades em diferentes épocas. A Microsoft acredita fortemente no valor das recompensas por bug e acreditamos que isso serve para melhorar nossas capacidades na parte de segurança”, explicou a empresa.

Os caçadores de bugs e pesquisadores de cibersegurança deverão procurar falhas no Windows 10, Windows Server 2012 e prévias antecipadas, além do Microsoft Hyper-V, do navegador Edge e do Windows Defender.

“Continuando com o espírito de manter um nível altíssimo de segurança no Windows, estamos lançando o Windows Bounty Program no dia 26 de julho de 2017. O programa de caça aos bugs vai continuar por tempo indefinido de acordo com o desejo da Microsoft”, finalizou a companhia em um post.

Cupons de desconto TecMundo: