Sem mencionar nomes, a Microsoft publicou um texto em seu blog TechNet para se defender das acusações feitas pela Kaspersky de que a empresa automaticamente ativaria o Windows Defender quando um antivírus de terceiros deixa de funcionar e que alguns updates do Windows 10 fariam o Kaspersky desaparecer do computador.

Apesar de não negar nenhuma das acusações feitas pela Kaspersky, a Microsoft afirmou em sua postagem que não fez nada com má intenção e que o objetivo é sempre fazer do Windows 10 o sistema mais seguro possível. A empresa confessou que eventualmente desinstala programas antivírus de terceiros sem avisar, mas apenas quando esses são incompatíveis com o sistema operacional, no caso, quase 95% deles.

A empresa confessou que eventualmente desinstala programas antivírus de terceiros sem avisar, mas apenas quando esses são incompatíveis com o sistema operacional

Esse é um ponto tocado pela acusação do fundador da companhia de segurança Eugune Kaspersky, que reclamou do pouco tempo dado pela Microsoft para que os desenvolvedores de antivírus adaptassem suas aplicações adequadamente.

A publicação da Microsoft termina com a afirmação de que a empresa há mais de 20 anos coopera com os parceiros desenvolvedores de programas antivírus para que a utilização das tantas versões do Windows seja mais segura para os usuários.

Cupons de desconto TecMundo: