Uma informação bombástica acaba de ser vazada pela WikiLeaks, plataforma de denúncias fundada pelo jornalista Julian Assange. De acordo com emails confidenciais divulgados pelo site, a Apple — contrariando declarações públicas de seu presidente Tim Cook — colabora com o governo dos Estados Unidos e entrega informações sigilosas sobre seus clientes para órgãos de inteligência norte-americanos.

A revelação veio à tona na forma de um email vazado escrito por Lisa Jackson, vice-presidente da Maçã, endereçado ao coordenador da campanha eleitoral da candidata Hillary Clinton. Na mensagem, Lisa afirma que “uma criptografia forte não elimina a habilidade da Apple de entregar metadados ou qualquer outras informações úteis para órgãos legislativos”. 

A executiva diz ainda que a Apple oferece informações sobre seus clientes e dispositivos “milhares de vezes ao mês”, em resposta a procurações e outros processos legais. Lisa promete que a companhia vai continuar colaborando com órgãos governamentais e estará sempre cooperando ao lado das autoridades, oferecendo dados que possam ajudar a resolver crimes complexos. Caso queira ver o email na íntegra, basta clicar neste link.

Insegurança

Vale observar que o email vazado foi escrito em dezembro de 2015, e, dessa forma, não dá para saber se as políticas internas da Apple mudaram desde então. Vale lembrar que, em público, Tim Cook sempre se mostrou inabalável em sua posição de resguardar a privacidade dos usuários, afirmando que a criptografia empregada em seus dispositivos móveis jamais seria quebrada. Será que os iPhones e iPads não são tão seguros como todos nós acreditávamos?

Cupons de desconto TecMundo: