(Fonte da imagem: Thinkstock)

Todas as semanas aparecem novas pesquisas sobre sexo e comportamento que são divulgadas na imprensa do mundo inteiro. Algumas delas são realizadas por órgãos reconhecidos internacionalmente e sociedades médicas sérias, e outras por sites de relacionamento e revistas femininas.

Sabe-se que muitas têm realmente um fundamento científico por trás dos resultados, o que pode trazer informações valiosas para identificar algum problema na vida sexual e usá-las da melhor forma para melhorar os momentos íntimos.

Entretanto, existem algumas pesquisas que possuem resultados duvidosos e até inusitados como, por exemplo, um estudo o qual revelou o fato de que casais que fazem faxina juntos possuem uma vida sexual mais ativa. A explicação foi de que a parceria entre os casais faz com que esse companheirismo contribua também para uma frequência maior das relações sexuais. Curioso, não é?

Conheça abaixo algumas das pesquisas mais comentadas recentemente sobre sexo e que podem ter dicas valiosas para você esquentar ainda mais os seus momentos de prazer com seu companheiro:

Casamento: ruim ou bom para o sexo?

(Fonte da imagem: Thinkstock)

As pesquisas sobre o sexo após o casamento são diversas: algumas afirmam sem dúvida que o matrimônio faz cair bastante a frequência das relações sexuais e outras dizem que o relacionamento duradouro aumenta o desejo.

Segundo uma pesquisa realizada no Reino Unido, o casamento é ruim para a vida sexual. De acordo com esse estudo feito por um site de encontros extraconjugais, Loving Links, com três mil pessoas casadas, a frequência de relações caiu de quatro vezes por semana antes do casamento para uma vez por semana após três anos de matrimônio. No entanto, visto que o estudo foi feito por um site de traição, a pesquisa é um tanto tendenciosa, não acham?

Pelo contrário, uma pesquisa realizada pelo Instituto Kinsey da Universidade de Indiana (nos Estados Unidos) prova que depois de 15 anos de casamento as chances de as mulheres estarem satisfeitas na cama é muito maior.

(Fonte da imagem: Thinkstock)

A pesquisa reuniu mil homens e mulheres brasileiros, norte-americanos, alemães e espanhóis que estivessem juntos há 25 anos, em média. As conclusões foram bastante interessantes já que revelaram um ponto bastante sensível: os homens precisam de mais carinho do que as mulheres para terem um relacionamento feliz e também valorizam o orgasmo de sua companheira.

Ou seja, existem pesquisas apontando várias discussões sobre os benefícios e falhas do casamento para a vida sexual. O importante é saber avaliar o seu relacionamento e identificar o que anda bem para valorizar sempre e o que anda mal para tentar melhorar.

Lingerie preta é mais atraente

Segundo um estudo realizado por uma empresa britânica de produtos para roupas Dr Backmann, a cor de lingerie que mais atrai os homens é a preta. De acordo com a pesquisa, feita online, 47% dos homens disseram que a lingerie desse tom é a sua favorita.

Se os homens brasileiros também compartilharem dessa preferência, experimente aumentar o volume dessas peças na sua gaveta de underwear e usá-las bastante, é claro.

Ioga para mais orgasmos

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Se você quer melhorar a sua performance entre quatro paredes e contribuir para que o seu organismo fique mais relaxado para lhe proporcionar mais orgasmos, saiba que a prática da ioga pode ser uma ótima aliada!

De acordo com um estudo divulgado pelo The Journal of Sexual Medicine (publicação da Sociedade Internacional de Medicina Sexual), as mulheres que praticam ioga possuem melhor desempenho sexual. Segundo a pesquisa, aquelas que praticam a atividade possuem maiores níveis de excitação e chegam ao orgasmo com mais facilidade.

O benefício acontece porque a ioga estimula as glândulas sexuais, o que influencia no favorecimento da lubrificação vaginal. Além disso, a prática otimiza a produção de hormônios e relaxa o corpo e a mente.

Sapatos e sexo

Você sabia que o tipo de seu sapato pode ajudar a melhorar a sua vida sexual? De acordo com um estudo feito por cientistas italianos, o uso de sapatos que possuem salto de aproximadamente cinco centímetros faz com que o seu corpo fique numa postura que favorece o fortalecimento dos músculos pélvicos, proporcionando maior qualidade dos orgasmos.

Ame seu corpo e melhore seu sexo

(Fonte da imagem: Thinkstock)

Uma gordurinha aqui, uma estria ali, flacidez, barriguinha: todos esses fatores foram citados por mulheres britânicas como principais problemas que as deixam constrangidas com o próprio corpo na hora do sexo, fazendo com que a vida sexual delas se torne ruim.

De acordo com a pesquisa, realizada pela revista “Cosmopolitan” inglesa, três em cada quatro entrevistadas não se sentem confortáveis com as formas do seu corpo, principalmente com a flacidez das coxas e o volume da barriga, e 73% afirmaram não se sentir sensual o suficiente para o parceiro.

Para as mulheres que se encaixam nesse resultado, ter uma alimentação mais saudável, praticar exercícios e, se necessário, recorrer a algum tratamento estético pode reverter esse quadro, melhorando o sex appeal.

No entanto, o mais importante é que as pessoas se sintam bem com seu corpo, independente de pequenos incômodos que possam existir. Assim, relaxadas e à vontade com as suas formas, é mais fácil ter um relacionamento mais ativo, satisfatório e feliz.

Confira mais algumas pesquisas curiosas:

(Fonte da imagem: Thinkstock)

  • Você sabia que bancar uma stripper durante o seu período de ovulação pode deixar o seu companheiro ainda mais excitado? Cientistas descobriram que as strippers ganham mais dinheiro durante esse período do mês, provavelmente devido à quantidade de feromônios liberados pelo corpo. Então, que tal fazer um strip tease caprichado durante essa fase mensal?

  • Você é fã de vídeo game e adora jogar online? Se a resposta for positiva é provável que a sua vida sexual seja mais intensa do que as mulheres que não jogam, de acordo com uma pesquisa encomendada pela Gamehouse que mapeou o perfil das mulheres que jogam video game. Segundo os dados da Harris Interactive, 57% das jogadoras online pesquisadas mantêm relações sexuais com mais frequência (sendo que 38% delas afirmam fazer sexo ao menos uma vez por semana). As que não curtem partidas em rede apresentaram um percentual bem menor;

  • Religião não se discute. No entanto, no que tange a vida sexual de diferentes tipos de crenças (ou nenhuma delas), esse assunto foi colocado em discussão com o resultado de uma pesquisa sobre a vida sexual dos ateus. De acordo com um estudo, feito pela Universidade do Kansas (EUA), os ateus têm vida sexual melhor do que a dos religiosos. O resultado foi baseado numa avaliação feita com 14.500 pessoas. Os resultados mostraram que os religiosos sentem mais culpa com o sexo, deixando de aproveitar plenamente o prazer que ele proporciona, enquanto os ateus tem o menor percentual de culpa identificado no estudo;

  • De acordo com uma pesquisa do The Durex Global Sexual Wellbeing, a relação sexual dos brasileiros dura, em média, 21 minutos. Muito mais tempo do que a dos americanos que dura apenas sete minutinhos e a dos europeus que dura cerca de 16 minutos. Portanto, ponto para o Brasil! Se você quer fazer a relação sexual durar mais ainda, pode aproveitar para estender as preliminares ou usar alguns movimentos que retardam o prazer masculino;

(Fonte da imagem: Thinkstock)

  • Outra pesquisa divulgada recentemente e que pode ajudar a sua vida sexual é uma realizada na Rutgers University, nos Estados Unidos, a qual mostrou que para muitas mulheres o estímulo dos mamilos pode ser igualado às sensações sentidas no clitóris, mostrando que é importante para o parceiro explorar todos os pontos erógenos do corpo feminino;

  • Ao contrário do que se pensa, ter relações sexuais durante o período menstrual podem ser bastante estimulantes. De acordo com uma pesquisa, os homens acham a voz feminina muito mais atraente nesse período do mês. Então, que tal chamar o seu gato para um banho sexy, usando a sua voz sensual para excitá-lo ainda mais?

(Fonte da imagem: Thinkstock)

  • Você sabia que ser muito mandona pode fazer a frequência de suas relações ir por água abaixo? Segundo um estudo realizado em países da África, e divulgado no jornal britânico Daily Mail, assumir a liderança e tomar todas as decisões pode comprometer a vida amorosa, revelando que as mulheres “mandonas” no lar ficam até 100 vezes mais tempo sem fazer sexo do que as que costumam dividir as decisões com os companheiros. 100 vezes é muita coisa, não é meninas? Portanto, se você adora dar ordens e decidir tudo, que tal dividir tarefas e decisões com o companheiro?

    Polêmicas ou não, as pesquisas continuam surgindo com resultados previsíveis e outros mais surpreendentes, sendo possível tirar algumas boas ideias e conclusões delas para uma vida sexual mais ativa e plena.

    No entanto, o que vale é ser feliz na vida sexual de forma saudável, sentindo-se confortável com seu corpo, tendo prazer e principalmente se divertindo com esse momento íntimo, que é parte importantíssima da vida a dois.

Via TodaEla

Cupons de desconto TecMundo: