Além de servir para deixar o seu computador mais rápido ou os celulares cada vez mais compactos, a tecnologia anda tendo um papel primordial na saúde – seja em diagnóstico, tratamentos ou prevenção de doenças. A prova disso é que uma dupla de dispositivos relativamente simples e baratos desenvolvidos pela oDocs Eye Care pode ajudar a reduzir drasticamente os casos de cegueira em nações menos favorecidas. Como? Acoplando acessórios produzidos em impressoras 3D a um iPhone, claro.

A empresa especializada em oftalmologia acredita que a iniciativa é necessária para reverter o avanço das chamadas “cegueiras evitáveis”, males que afetam a visão humana, mas que podem ser prevenidos com uma avaliação adequada do paciente. A ideia, então, foi substituir equipamentos oftalmológicos caríssimos por lentes avulsas que podem ser integradas à câmera dos smartphones da Apple. Além de reduzir custos, isso pode dar mais mobilidade aos médicos na hora do atendimento ao público – principalmente em áreas de difícil acesso.

O primeiro dos periféricos é o visoClip, um item de proporções diminutas que envolve a câmera traseira do celular, permitindo que ele possa captar imagens em alta resolução das camadas mais frontais do olho. Sem dever nada às soluções tradicionais quando o assunto é eficiência no diagnóstico, o item é resistente, à prova d’água e une recursos como ampliação de 10x, feixe de luz de 15 milímetros e uma dupla de filtros ópticos para permitir uma detecção clara de possíveis problemas de visão.

Com um formato mais chamativo, o visoScope usa princípios parecidos aos do seu irmão menor para transformar o iPhone em uma ferramenta capaz de dar acesso à região conhecida como fundo do olho. A lente antirreflexiva desse dispositivo fica presa em uma haste comprida e oferece campo de visão de cerca de 50º para o médico. O mais interessante é que, especificamente nesse caso, a criação da oDocs supera os instrumentos clássicos, já que o display do smartphone oferece uma amostra mais detalhada para avaliação do quadro clínico.

Conjunto acessível

Apesar de já estarem sendo testados, o lançamento oficial de ambos os produtos está agendado para novembro deste ano. Tanto o visoClip quanto o visoScope deverão ser compatíveis com um bom número de aparelhos da Apple, começando com o iPhone 5 e passando, por exemplo, pelo iPhone 6s e iPhone SE. A expectativa é que o primeiro item custe entre US$ 149 (R$ 525) e US$ 249 (R$ 878), enquanto o segundo deve ficar na faixa de US$ 325 (R$ 1.146) a US$ 495 (R$ 1.745) – dependendo do material usado na fabricação.

A tecnologia deve receber mais investimento na área de saúde? Comente no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: