Os aparelhos acusados tiveram o desempenho eliminado do serviço. (Fonte da imagem: Reprodução/Futuremark)

No mês passado, estourou uma bomba na indústria de dispositivos Android sobre a trapaça de várias empresas que manipulavam resultados de benchmarks para melhorar o desempenho de aparelhos durante essas provas. Depois das denúncias, começaram as punições: a empresa Futuremark, responsável pelo serviço 3DMark, removeu do aplicativo as avaliações de seis aparelhos que foram acusados de fraude.

Os dispositivos são os seguintes: HTC One e HTC One mini, da fabricante taiwanesa, o Galaxy Note 3 (modelos Exynos 5 Octa e tradicional) e o Galaxy Note 10.1 2014 Edition (também em ambas as versões), da Samsung. Eles até aparecem na lista da empresa, mas o desempenho em números não é mais revelado.

É só o começo?

A Futuremark não especificou quais regras foram infringidas, mas o Galaxy Note 3 já foi acusado diretamente de ficar 20% mais poderoso durante os testes por reconhecer os apps de avaliação e ficar propositalmente mais poderoso por conta disso, por exemplo.

"As pessoas confiam nos benchmarks da Futuremark por produzirem avaliações precisas e resultados concretos. É por isso que nós temos regras claras para as fabricantes e os desenvolvedores de software que especificam como uma plataforma pode interagir com nossos serviços. Em termos simples, o aparelho precisa rodar nossos benchmarks sem modificações, como se eles fossem qualquer outro aplicativo", diz um anúncio oficial da companhia.

O aplicativo 3DMark para Android atualizado, já sem os resultados dos aparelhos suspeitos, pode ser baixado por aqui. Vale lembrar que, como outra forma de “punição”, o AnTuTu lançou uma versão alternativa do próprio app que tenta burlar as fraudes das fabricantes.

Cupons de desconto TecMundo: