A Renault parece ter em mãos uma boa solução para lidar com a bateria de seus carros elétricos depois que elas já tiverem cumprido seu propósito de alimentação automotiva. Em parceria com a Powervault, a montadora vai reutilizar essas peças como fonte de armazenamento de energia para sistemas caseiros de eletricidade aos moldes do Powerwall, da Tesla.

De acordo com a aliada da Renault, isso pode diminuir os custos da plataforma de energia domiciliar limpa em até 30%, podendo ser adquirida por cerca de 3 mil libras esterlinas no Reino Unido – algo em torno de R$ 12,7 mil. Para testar o projeto, a empresa produziu 50 unidades do equipamento recondicionado e ofereceu a lares britânicos que já utilizam painéis solares no seu dia a dia. Algumas escolas e abrigos locais também fazem parte do programa.

O Zoe é um dos carros da Renault que pode participar desse projeto

A estratégia prolonga consideravelmente a vida útil das baterias

Nessa etapa inicial, a ideia da dupla é analisar o desempenho das baterias reaproveitadas, comparar sua performance com as peças convencionais e, claro, obter as críticas dos consumidores a respeito do produto. Independentemente dos resultados gerados nessa fase de testes, é inegável que a estratégia adotada pela empresa automotiva e por sua parceira prolonga consideravelmente a vida útil original das baterias.

Se a Renault estiver correta, o equipamento pode ser utilizado por cerca de oito a dez anos nos carros da marca antes de ser transportado para os painéis de energia, onde ele pode funcionar tranquilamente por mais dez anos. O mais interessante é a bateria automotiva é dividida em kits menores que podem alimentar diversas casas ao mesmo tempo, bastando que o material retenha ao menos 70% de seu desempenho original.  

Cupons de desconto TecMundo: