(Fonte da imagem: Divulgação/VKontakte)

Devido a um “engano” das autoridades responsáveis pela segurança da internet na Rússia, a principal rede social do país foi “proibida” durante algum tempo. O episódio ocorreu pouco tempo após o governo local ter intensificado a pressão contra os administradores da VKontake, o que gerou suspeitas quanto à intencionalidade da ação.

Contando com mais de 210 milhões de usuários, o site foi incluído em uma “lista negra” de páginas cujos conteúdos se tornam inacessíveis na Rússia — suspensão que só foi resolvida horas depois. Pavel Durov, fundador do serviço, se tornou conhecido após entrar em conflito com autoridades por ter criado um fórum que dava espaço a ativistas de oposição que planejavam protestos contra o presidente Vladimir Putin.

Segundo um porta-voz do órgão regulador das comunicações da Rússia, toda a situação é fruto de um engano. “Nesse caso, alguém adicionou uma configuração contra o endereço da rede social. O site foi retirado da lista e as restrições de acesso a ele foram suspensas”, afirmou a mensagem oficial divulgada pela entidade.

Esforço para se manter independente

Fundada em 2006, a VKontakte atrai cerca de 47 milhões de visitantes diários que se conectam ao site para compartilhar fotografias, informações e notícias. “É um esforço meticuloso e metódico para trazer a rede sob o controle do Kremlin”, afirmou Dmitry Glukhovsky, escritor responsável pelo livro Metro 2033, quando foi questionado sobre o caso.

“É um recurso muito importante para permanecer independente dos ‘siloviki’”, complementou Gluykhovsky. O escritor se refere aos aliados de Putin que compartilham o passado militar do presidente e hoje ocupam cargos importantes no governo russo.

Cupons de desconto TecMundo: