Facebook cobrou clientes em plano gratuito de celular, diz jornal

1 min de leitura
Imagem de: Facebook cobrou clientes em plano gratuito de celular, diz jornal
Imagem: Pixabay
Avatar do autor

O Facebook voltou a se envolver em polêmicas e foi novamente denunciado pelo The Wall Street Journal, o mesmo veículo responsável pela divulgação inicial dos Facebook Papers.

Desta vez, a acusação envolve o Free Basics, um pacote de acesso à internet móvel feito pela Meta em parceria com as operadoras de países economicamente menos favorecidos — caso de regiões como Indonésia, Paquistão e Filipinas, além de várias outras.

Tecnicamente, a ideia do Free Basics é garantir sem custos e com baixos gastos energéticos o acesso à rede social e a outros serviços online, especialmente ferramentas de comunicação e educação. Entretanto, a plataforma na verdade estava realizando cobranças dos usuários e chegou a embolsar mais de US$ 1,9 milhão somente no Paquistão.

O que aconteceu?

O problema é que o Free Basics apresentou um erro de software e interface que exibiu fotos e vídeos no aplicativo — sendo que esse conteúdo não consta na versão gratuita e, se consumido, gera uma cobrança no plano de dados da pessoa. Para piorar, o sistema de notificações que avisava que as cobranças seriam realizadas não apareceram como deveriam. Como essas regiões costumam adotar planos pré-pagos em massa, o saldo era subtraído aos poucos e sem gerar suspeitas.

De acordo com o Facebook, em nota enviada ao site The Verge, o problema foi identificado internamente e a empresa vai "continuar trabalhando com os parceiros para garantir cobranças de dados transparentes e precisas".

Entretanto, o The Wall Street Jounal alega que a Meta já sabia "há meses" que as cobranças eram realizadas, mas acreditou que os usuários na verdade estavam de fato liberando o consumo de dados pagos.