Facebook deleta contas falsas em Uganda e Palestina

1 min de leitura
Imagem de: Facebook deleta contas falsas em Uganda e Palestina
Imagem: Facebook
Avatar do autor

Facebook informou nesta terça-feira (9), que deletou um novo lote de contas falsas em Uganda e na Palestina, que tinham como intenção "manipular sua plataforma e influenciar as eleições". Os dois países vivem momentos conturbados devido ao pleito eleitoral.

Por meio do relatório Coordinated Inauthentic Behavior, o Facebook encontrou 220 contas fakes, 32 páginas e 59 grupos, que acumularam 512.000 seguidores e gastaram US$ 5 mil em anúncios, no país africano. Outros 139 perfis falsos foram encontrados no Instagram.

Perfis falsos estão sendo criados para manipular informação nas redes sociaisPerfis falsos estão sendo criados para manipular informação nas redes sociaisFonte:  Pixabay 

Esta é a segunda ação do Facebook, em Uganda. Alguns dias antes das eleições presidenciais, o Facebook deletou a conta de autoridades acusadas de interferência direta no exercício democrático. Em janeiro, o presidente Yoweri Museveni foi reeleito com 58% dos votos. O líder já se encontra no cargo, há 35 anos.

Já, na Palestina, foram removidas 206 contas do Facebook, 178 páginas, três grupos e 14 perfis do Instagram. Ao todo, a rede fake gerou 60.500 seguidores e gastou U$ 1.100 em anúncios. As eleições estão marcadas para o mês de maio. Este será o primeiro pleito eleitoral em 15 anos.

Brasil também foi alvo de contas falsas

Em julho do ano passado, o Facebook removeu perfis fakes relacionados ao Partido Social Liberal (PSL) e a gabinetes da família do presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, a empresa relatou que as contas possuíam um "comportamento inautêntico".

Foram apagados 35 perfis, 14 páginas e 1 grupo no Facebook, além de 38 contas no Instagram. Cerca de 1 milhão e 800 mil pessoas seguiam uma ou mais destas páginas nas redes sociais.

Facebook deleta contas falsas em Uganda e Palestina