Em parceria com Facebook e WhatsApp, TSE espera identificar robôs

1 min de leitura
Imagem de: Em parceria com Facebook e WhatsApp, TSE espera identificar robôs
Imagem: TSE
Avatar do autor

Nesta quarta-feira (30), o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) fez o anúncio de sua parceria com FacebookInstagramWhatsApp para identificar o uso de robôs em suas contas, melhorar a segurança digital e combater a divulgação de notícias falsas. Outra função do projeto é disseminar informações corretas sobre as medidas de segurança durante as eleições municipais, que acontecem em novembro.

O Whatsapp foi um dos principais veículos de disseminação de notícias falsas em 2018, durante as últimas eleições. (Fonte: Pexels)O WhatsApp foi um dos principais veículos de disseminação de notícias falsas em 2018, durante as últimas eleições. (Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 

Com a parceria, o TSE será a primeira entidade eleitoral do mundo a ter um chat assistido por um bot no WhatsApp, permitindo uma interação direta entre usuários, eleitores e a instância jurídica. Uma das funcionalidades do canal no mensageiro será a possibilidade de efetuar denúncias contra contas com atividades suspeitas, como notícias falsas e disparos em massa, em um tipo de spam.

A secretária-geral do TSE, Aline Osorio, explicou mais sobre a função: "Recebida a denúncia, o WhatsApp conduzirá uma apuração interna para verificar se as contas indicadas violaram as políticas do aplicativo. E, se for o caso, irá bani-las".

As notícias falsas — ou fake news — podem ter influenciado as eleições de 2018. (Fonte: Pexels)Fake news podem ter influenciado as eleições de 2018. (Fonte: Pexels)Fonte:  Pexels 

Da mesma forma, o Facebook e o Instagram devem desempenhar o papel de combate às notícias falsas e promover informações corretas sobre os cuidados durante a pandemia do novo coronavírus. Durante o evento digital, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Roberto Barroso, ressaltou a relevância da medida: "É importante impedir que as redes sociais, que têm um papel agregador, sejam utilizadas muitas vezes com maus propósitos, seja para vantagem ilícita, difamar pessoas ou destruir componentes essenciais à democracia".

Fontes

Em parceria com Facebook e WhatsApp, TSE espera identificar robôs