Twitter bane conta de David Duke, ex-líder do Ku Klux Klan

1 min de leitura
Imagem de: Twitter bane conta de David Duke, ex-líder do Ku Klux Klan
Imagem: VisualHunt
Avatar do autor

A conta do Twitter do ex-líder do grupo supremacista Ku Klux Klan, David Duke, foi banida permanentemente da rede social. Inscrita na plataforma desde setembro de 2009 e com cerca de 53 mil seguidores, David Duke foi acusado de “cometer violações às regras do Twitter sobre conduta de ódio”.

Ex-líder do grupo supremacista branco dos Estados Unidos e ex-membro da Câmara dos Representantes da Luisiana, David Duke foi uma figura controversa por toda sua vida. Além de abertamente defender o tradicionalismo conservador e valores da família cristã, Duke crê em teorias de conspiração antissemitas, é negacionista do Holocausto e prega a segregação racial e separatismo branco.

David Duke em entrevista enquanto integrante do partido republicano nos EUA.David Duke em entrevista enquanto integrante do partido republicano nos EUA.Fonte:  VisualHunt 

O banimento da conta de David Duke acompanha a onda do Twitter para “livrar” a plataforma de discursos de ódio. No caso do ex-líder e político, não há menção à nenhuma publicação específica.

Ainda assim, Duke foi banido por violar normas da rede social — que proíbem a promoção de violência contra grupos étnicos, religião ou origem étnica. Regras estas que foram recentemente atualizadas diante das exigências dos patrocinadores e marcas na campanha de boicote às redes sociais.

Seguindo esses ideais, o Twitter mostrado grande dedicação para impor essas normas sobre os usuários da rede social. Nos últimos meses, a plataforma baniu a comentarista inglesa Katie Hopkins, somada a outras 7 mil contas por razões semelhantes em semanas recentes.

Até o momento, nem o Twitter, ou David Duke, se manifestaram publicamente.

Twitter bane conta de David Duke, ex-líder do Ku Klux Klan