Instagram vai rever sua política para dar mais voz aos negros

1 min de leitura
Imagem de: Instagram vai rever sua política para dar mais voz aos negros
Imagem: Pplware Sapo
Avatar do autor

Com o objetivo de dar mais voz aos usuários negros, o Instagram anunciou que irá rever suas políticas. Após receber críticas relacionadas à remoção de publicações sobre os protestos contra o racismo e à prática de shadowban, a empresa divulgou em seu blog medidas de inclusão que serão implementadas nos próximos meses.

"A ironia de sermos uma plataforma que eleva vozes negras, mas ao mesmo tempo onde a população negra passa por assédio, tem medo de ser "shadowbanned" [ter o alcance de seus posts limitados sem critérios transparentes] e discorda de remoções de conteúdo, não passou despercebida por mim", afirmou o CEO do Instagram, Adam Mosseri, na postagem.

O executivo reconheceu a necessidade de apoiar a comunidade negra na plataforma e explicou que, para tanto, a empresa examinará os impactos da rede social em diferentes grupos. Nessa análise, serão considerados quatro aspectos: assédio, verificação de conta, distribuição de conteúdo e viés algorítmico.

Medidas de inclusão

a  University Press/Reprodução 

Adam Mosseri esclareceu que, como medida inicial, o Instagram vai combater as desigualdades enfrentadas pela população negra no site. Além disso, a empresa analisará se os critérios de verificação de conta favorecem determinados grupos em detrimento de outros.

A empresa ainda se comprometeu a fornecer mais informações sobre como o conteúdo do site é filtrado nas páginas Explorar e Hashtag, bem como verificar se essa distribuição está sendo justa.

Por fim, Mosseri explicou que algumas tecnologias — como algoritmos — podem reproduzir padrões desenvolvidos pela sociedade, mesmo que eles sejam nocivos. Diante disso, o executivo garantiu que medidas mais eficazes serão adotadas.

Embora o foco da postagem tenha sido a população negra, a empresa também se comprometeu a tornar a plataforma mais inclusiva para outros grupos sub-representados, como "comunidades LGBTQI +, ativistas de positividade corporal e artistas".

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Instagram vai rever sua política para dar mais voz aos negros