Linux e Android são mais inseguros que Windows, aposta relatório

1 min de leitura
Imagem de: Linux e Android são mais inseguros que Windows, aposta relatório
Avatar do autor

Um relatório do governo norte-americano desenvolvido pela “National Institute of Standards and Technology’s National Vulnerability Database”, apontou o Linux como o sistema operacional mais vulnerável desde a virada do milênio. A organização dos dados é da TheBestVPN.

Os dados foram contabilizados entre 1999 e 2019, colocando a distribuição Debian do Linux como a mais vulnerável, tendo registrado pouco mais de 3 mil brechas reportadas nos últimos vinte anos.

E se você acha que alguma Windows vem logo em seguida, você está errado. A primeira posição da Microsoft nesse ranking é a nona, com o Windows Server 2008. O saudoso Windows 7 chega em 10° lugar, com o Windows 10 em 12° posição.

Atualização 11/03/2020 - 14h00A forma como a TheBestVPN organizou os dados está sendo questionada por supostamente contabilizar as brechas de segurança de todos os pacotes distribuídos no Debian junto com o próprio sistema operacional, enquanto outros SO tiveram contabilizadas apenas suas próprias falhas. Assim que houver uma confirmação, atualizaremos esta postagem.

vulnerabilidadesQuantidade de vulnerabilidades encontradas entre 1999 e 2019 em produtos de software (Reprodução/ National Institute of Standards and Technology’s National Vulnerability Database)

Antes dos produtos da Microsoft, temos o Android da Google pertinho do topo, seguido pelo kernel do Linux. O macOS da Apple chega em quarto, e o iOS em oitavo.

Contudo, se você juntar os dados do Windows 7 e do Windows 10, que compartilharam o público da Microsoft nessas duas décadas, temos um total de 2.394 vulnerabilidades registradas, o suficiente para colocar a Microsoft na quarta posição, logo acima da Apple com seu macOS.

vulnerabilidadesEmpresas de software com maior número total bruto de vulnerabilidades encontradas entre 1999 e 2019 (Reprodução/ National Institute of Standards and Technology’s National Vulnerability Database)

Ainda assim, dada a longa dominância da Microsoft no mercado global de software, os produtos da empresa ainda são os mais “visados” por cibercriminosos. A empresa também é a empresa cuja soma de todas as vulnerabilidades de seus produtos é a maior no relatório. Em seguida, temos a Oracle, responsável pelo Java.

Em termos de risco real, os produtos que mais apresentaram problemas para os consumidores nesses vinte anos são nossos velhos conhecidos: Adobe Flash Player, Adobe Acrobat, Microsoft Office e Adobe Acrobat Reader.

vulnerabilidadesProdutos cujas vulnerabilidades representam o maior risco para consumidores (Reprodução/ National Institute of Standards and Technology’s National Vulnerability Database)

https://thebestvpn.com/vulnerability-alerts/

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Linux e Android são mais inseguros que Windows, aposta relatório