51% das pessoas já desistiram de brigar por política no WhatsApp

1 min de leitura
Imagem de: 51% das pessoas já desistiram de brigar por política no WhatsApp
Avatar do autor

Política continua causando intrigas familiares. Uma pesquisa realizada pelo Datafolha com quase três mil entrevistados revela que 1 a cada 5 pessoas deixou de seguir ou acabou bloqueando o perfil de algum amigo ou parente no WhatsApp por ter opiniões contrárias no âmbito político.

Mas as "tretas" tendem a diminuir. O estudo mostra ainda que  51% o número de pessoas já desistiram de emitir seu pensamento político para evitar conflitos. 27% preferiram sair de algum grupo pelo mesmo motivo.

Perfil demográfico da autocensura

Funcionários públicos praticam a maior parte da autocensura nas redes sociais, incluindo o WhatsApp. O número chega a 61% de pessoas que se resolvem não divulgar sua opinião.

Donas de casa, no entanto, se contrapõem a esse pensamento. 60% delas não se privam de falar seu pensamento e deixam claro seu posicionamento, independentemente de possíveis desentendimentos.

(Fonte: Pixabay/Reprodução)
(Fonte: Pixabay/Reprodução)

Para que servem as redes sociais?

A maioria dos entrevistados acredita que as redes sociais ajudam a dar voz aos grupos que não têm espaço na sociedade. Além disso, os resultados mostram também que a maior parte as vê como uma distração de assuntos realmente importantes e um meio de propagar fake news, outra temática levantada fortemente com as eleições presidenciais de 2018, focada no WhatsApp devido a sua velocidade e facilidade na comunicação com grandes grupos.

A rede social é a mais popular no Brasil, usada por 71% da população. Assim, uma notícia pode ser facilmente disseminada para diferentes grupos sociais, já que possui usuários distribuídos em todo país.

Especialistas dão dicas de como lidar com discussões políticas no WhatsApp

Os conselhos sugerem que uma discussão é, sim, válida, caso as duas partes estejam dispostas a conversar de forma civilizada e com argumentos bem estruturados, sem partidarismo e ofensas pessoais. Se uma das partes está disposta apenas a convencer o outro de que ele está errado, a discussão é desaconselhada.

No entanto, banir de vez discussões sobre política no WhatsApp também não é a melhor solução, pois ignorar o assunto não faz com que as coisas se resolvam. É importante manter a conversa aberta e trata-la aos poucos.

Por fim, conversa por WhatsApp – ou qualquer outra rede social – não é a mais recomendada. Se possível, é melhor se resolver pessoalmente pois a presença de gestos, expressão facial e proximidade física ajudam a humanizar o processo comunicacional.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
51% das pessoas já desistiram de brigar por política no WhatsApp