YouTube deverá pagar mais de US$ 150 milhões por violar normas infantis

1 min de leitura
Imagem de: YouTube deverá pagar mais de US$ 150 milhões por violar normas infantis
Avatar do autor

YouTube terá de pagar uma multa entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões por violar normas de privacidade de público infantil nos Estados Unidos. O valor foi votado e determinado por membros da Comissão Federal de Comércio (FTC) do país, com a alegação de que a Google pode ter usado dados pessoais de crianças menores de 13 anos de idade e divulgado informações a terceiros sem a devida autorização de pais e responsáveis. O montante exato não foi divulgado, mas seria resultado de um acordo entre o órgão regulador e a gigante da internet.

A penalidade é também fruto de uma denúncia realizada por um grupo de usuários da plataforma, que acusou a empresa de burlar especificamente a Lei de Proteção à Privacidade Online para Crianças (Coppa). Dessa forma, haveria indícios de que ela usava os dados do público para inclusive segmentar anúncios, atividade proibida pela legislação norte-americana.

YouTube é acusado de fornecer dados de usuários infantis para segmentar anúncios em sua plataforma. (Fonte: Pexels)

Atualização de diretrizes

No mesmo dia em que a votação foi realizada, na última sexta-feira (30), a Google atualizou uma série de políticas para o YouTube Kids, entre elas a de que criadores de conteúdo não poderiam veicular propagandas em vídeos infantis. Além disso, a companhia adicionou filtros mais restritivos para a plataforma e determinou que seriam proibidas temáticas de cunho "mais adulto" ou possivelmente violento.

Vale lembrar que o YouTube é a segunda maior fonte de receita da Alphabet, proprietária do grupo Google, com origem de anúncios veiculados em seus sites ou serviços. De acordo com a Bloomberg, cerca de US$ 750 milhões por ano vêm de conteúdo destinado ao público infantil; logo, a decisão da FTC deve gerar considerável perda financeira para a companhia.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
YouTube deverá pagar mais de US$ 150 milhões por violar normas infantis