O Facebook é, sobretudo, um imenso repositório de dados pessoais a partir do qual Mark Zuckerberg fez fortuna. Contudo, a empresa agora vem sendo questionada na Justiça sobre alguns dos seus acordos envolvendo práticas controversas no compartilhamento de dados com outras empresas, como relata uma matéria do New York Times.

Segundo a publicação, o foco exato da investigação ainda não foi revelado, mas é certo que duas fabricantes de smartphones não identificadas também entram na mesma onda pela parceria com o Facebook.

“Estamos cooperando com as investigações e levando essa sindicância a sério”, revelou ao NYT um porta-voz da rede social. “Realizamos um testemunho público, respondemos perguntas e garantimos que continuarmos a fazê-los”, prossegue o representante.

Parcerias controversas

As parcerias que agora estão sob os holofotes da Justiça são aquelas que permitem que serviços externos ao Facebook acessem algumas informações de usuários da rede, como procurar quais de seus amigos do Twitter estão na plataforma. Entretanto, esse acesso básico foi explorado para ir mais longe por outras companhias sem consentimento do usuário.

Especificamente, a reportagem do NYT cita ter obtido informações de que Spotify e Netflix puderam ver mensagens privadas, enquanto o Bing teve acesso à lista de amigos de cada usuário, tudo isso sem qualquer tipo de permissão expressa. E se a crise de confiança do Facebook já era grande a partir do escândalo de Cambridge Analytica, a tendência é que ela apenas aumente com essas novas revelações.

A temporada de 2019 do Facebook começou com tudo.

Cupons de desconto TecMundo: