Como se já não bastassem as eternas brigas e o campo minado que virou o Facebook durante os últimos eventos políticos dos últimos anos, ao que parece, a rede social estaria disposta em investir ainda mais nesse assunto. Uma patente flagrada pelo The Verge mostra um sistema em que as pessoas poderiam comentar sobre leis que podem afetá-las, de forma que o resultado do debate fosse levado ao governo.

Chamado de “Oferecendo fóruns digitais para aumentar o engajamento cívico”, o documento prevê uma plataforma que poderia identificar uma nova lei ou emenda e em seguida usaria os dados de suas redes sociais para convidar pessoas relevantes ao contexto.

facebookFonte: US Patent & Trademark Office

Não dá para saber exatamente como funcionaria essa curadoria e aparentemente seria construído um “ranking de reputação” com diversas variáveis, avaliadas tanto por humanos quanto por algoritmos — inclusive separando desde pessoas “interessadas” a “experts”.

FacebookFonte: US Patent & Trademark Office

Essa galera seria direcionada para uma interface na qual poderiam comentar o assunto e todo o feedback seria organizado em uma única proposta, que então seria votada por todos os participantes do fórum. O processo poderia envolver tecnologia blockchain, para manter sua lisura.

Patente não deve sair do papel agora

Bem, essa patente foi cadastrada em 2017, quando o Facebook ainda não estava envolvido no caso Cambridge Analytica e sequer tinha sofrido tantas invasões e revisões de suas políticas, como aconteceu no ano passado. Assim como outras companhias, a de Mark Zuckerberg também registra várias ideias que acabam não se tornando realidade.

Levando em consideração como as pessoas têm lidado com os problemas de privacidade e a dificuldade em lidar com as diferenças, não seria demais chamar esse projeto de “barril de pólvora” para tretas — algo que, pelo menos por enquanto, a rede social parece não querer, já que ela anda bastante ocupada tentando tornar seus dados mais seguros e suas ações mais transparentes.

Cupons de desconto TecMundo: