Mark Zuckerberg anunciou que não participará de uma sabatina sobre fake news com representantes de sete países, inclusive o Brasil. O executivo informou que o vice-presidente Richard Allan falará em nome da rede social que vem sendo envolvida em diversas polêmicas relacionadas à disseminação de notícias falsas pelo mundo.

O encontro acontece em Londres a partir das 14h30 (horário de Brasília) na próxima terça-feira (27), revelou o UOL Tecnologia, com parlamentares de Brasil, Argentina, Canadá, Irlanda, Letônia, Reino Unido e Singapura. O objetivo da sabatina é ter mais informações sobre a atuação da rede social no combate às notícias falsas que se proliferam especialmente em época de eleição.

Alessandro Molon (PSB-RJ) será o representante brasileiro no encontro do parlamentares de sete países em Londres

No Brasil, os brasileiros foram impactados por 4,8 milhões de notícias falsas entre julho e setembro de 2018, com o WhastApp, sites da web e o Facebook sendo os três principais vetores da desinformação. O período que antecedeu as eleições de 2018 registrou um aumento de 43% no volume de fake news em comparação com o mesmo trimestre em 2017.

A situação do Facebook é grave também nos Estados Unidos e no Reino Unido, pois há indícios de manipulação da opinião pública por meio da rede social durante o pleito que elegeu Donald Trump em 2016 e no plebiscito que determinou a saída da Grã-Bretanha da União Europeia — o famigerado escândalo da Cambridge Analytica.

No encontro da próxima semana, o representante brasileiro será o deputado federal Alessandro Molon (PSB-RJ), relator do Marco Civil da Internet.

Cupons de desconto TecMundo: