O Facebook se pronunciou ontem (15) sobre uma reportagem da última quarta-feira (14) na qual o New York Times afirma que Mark Zuckerberg teria ordenado a seus empregados que deixassem de usar iPhones como parte de uma cruzada contra a Apple nos escritórios da rede social.

A medida, ainda de acordo com a publicação, seria uma represália às declarações do presidente da Apple Tim Cook a respeito dos problemas na gestão da privacidade dos usuários do Facebook. Ao comentar os problemas recentes envolvendo violações de privacidade na rede social, o executivo da Apple afirmou que “a privacidade é um direito humano” para a Apple.

Em publicação feita no seu site de imprensa, o Facebook negou a exigência por parte de Mark Zuckerberg. A empresa reconhece que há tempos “encoraja” os seus funcionários a usarem aparelhos com o sistema da Google, mas isso acontece porque ele é o mais usado no mundo todo e não tem qualquer relação com as declarações de Cook.

“Tim Cook tem criticado consistentemente o nosso modelo de negócio e Mark tem sido igualmente claro em sua discordância. Então, não há qualquer necessidade em usar quem quer que seja para fazer isso por nós”, registra a rede social. “E nós há tempos encorajamos os nossos empregados e executivos a usarem Android porque ele é o sistema operacional mais popular do mundo.”

Cupons de desconto TecMundo: