Um grupo de investidores do Facebook se uniu para tentar tirar Mark Zuckerberg do posto de presidente do conselho diretor da empresa, revelou hoje o CNET. Segundo a publicação, três diretores de fundos públicos com participações na rede social são signatários de uma proposta de acionistas para que o cargo hoje ocupado por Zuckerberg se torne independente.

A ação planejada por acionistas e investidores dificilmente será alcançada porque Zuckerberg detém, sozinho, cerca de 60% do poder de voto no conselho do Facebook graças às suas ações de supervoto. Contudo, apesar disso, ela passa uma mensagem de que parte dos investidores não está mais satisfeita com a condução dada ao Facebook pelo seu cocriador mais famoso.

ZuckerbergZuckerberg vem perdendo prestígio junto a investidores e acionistas. (Fonte: Niall Kennedy)

A proposta foi feita em junho deste ano, antes da revelação de que dados de 29 milhões de usuários foram roubados, mas já depois do escândalo da Cambridge Analytica. Para quem não lembra, no início do ano foi revelado que a empresa de marketing político usou dados obtidos dentro do Facebook para ajudar a manipular a opinião pública durante o Brexit, no Reino Unido, e a eleição de Donald Trump, nos Estados Unidos, ambos em 2016.

Em suma, a crise de confiança que se abateu sobre parte do público em relação ao Facebook neste ano após uma série de escândalos de privacidade parece ter acendido o sinal de alerta nos investidores da rede social.

“A estrutura de governança do Facebook continua a colocar os seus investidores em risco”, registra um dos investidores em comunicado divulgado à imprensa. “Agora é hora de mudança. Precisamos ver mais compromisso e responsabilidade por parte de Mark Zuckerberg em relação ao conselho de diretores a fim de restaurar a confiança dos investidores e proteger o valor dos acionistas”, concluiu.

Cupons de desconto TecMundo: