Você já deve ao menos ter ouvido falar em fotos com nudez que aparecem no Facebook e são removidas logo que denunciadas, indicando o ágil trabalho da rede social em combater a nudez (especialmente os mamilos femininos). Contudo, você também já deve ter ouvido falar sobre uma certa morosidade das “defesas” da plataforma quando se trata de combater postagens contendo discurso de ódio.

E qual a razão para isso? Bem, de forma bastante sincera, Mark Zuckerberg afirmou ontem (25) que “é bem mais fácil criar um sistema de inteligência artificial para detectar um mamilo do que para detectar discurso de ódio”. Essas palavras foram ditas durante a sessão de perguntas e respostas após a apresentação dos resultados financeiros do primeiro trimestre de 2018, revelou o Engadget.

Vale lembrar que o Facebook já se envolveu em polêmicas em que, por exemplo, estátuas históricas contendo nudez foram removidas ou mesmo um “cotovelo sensual” também passou pelo mesmo problema. Nesta semana, o Facebook até mesmo atualizou a sua política de uso para tentar reduzir esse tipo de situação, então, é questão de tempo esperar para ver se os resultados virão.

De fato, porém, é compreensível que para uma inteligência artificial seja mais simples identificar a presença de determinados elementos gráficos em uma fotografia do que o teor odioso de um texto. No último caso, a presença de uma revisão humana normalmente deve ser determinante para identificar a intenção do autor.

Cupons de desconto TecMundo: