O escândalo causado pelo vídeo do youtuber norte-americano Logan Paul que supostamente mostra um cadáver na “Floresta do Suicídio” no Japão ainda parece estar longe de acabar. Depois de o clipe ter sido excluído do canal de Paul, centenas de cópias do material foram reenviadas para a plataforma e publicadas integralmente ou parcialmente.

Os novos clipes chegaram inclusive a entrar na lista de mais vistos do YouTube dos EUA, deixando a situação toda fora de controle. O YouTube, por sua vez, vem excluindo os vídeos republicados por conta do material ser considerado pesado demais e contra as regras da plataforma.

logan paul

Contudo, muitos canais — que sabem como driblar o algoritmo do YouTube — continuam conseguindo mostrar o vídeo de Paul com pouca censura sobre o cadáver ou mesmo mostrando o corpo inteiramente. Para evitar terem os vídeos excluídos, esses canais colocaram áudios diferentes ou segmentos de outros clipes intermitentemente com o vídeo original do youtuber.

Uma busca rápida por “logan paul dead body” traz dezenas de vídeos republicados misturados com comentários de outros criadores de conteúdo e diversas críticas à postura do jovem de 22 anos. Após a polêmica, ele se desculpou pelo Twitter.

Algo similar aconteceu com o vídeo considerado racista de PewDiePie, que pagou pessoas para segurarem placas com as inscrições “morte aos judeus”. As republicações simplesmente borravam a palavra “judeus”, e o YouTube não podia fazer nada para eliminar o conteúdo da plataforma.

Cupons de desconto TecMundo: