Tecnologia de realidade aumentada permite a exploração de museus

1 min de leitura
Imagem de: Tecnologia de realidade aumentada permite a exploração de museus
Avatar do autor

Utilizando a nova tecnologia de realidade aumentada da Google chamada Tango, o Detroit Institute of Arts, museu da cidade de Detroit, nos Estados Unidos, criou uma plataforma para ampliar a experiência dos visitantes. Chamado de Lumin, esse tour permite interatividade por parte do usuário e acrescenta informações ao passeio.

Tudo funciona em um Lenovo Phab 2 Pro, que pode ser pego emprestado na entrada do museu. Com as capacidades de localização e realidade aumentada proporcionadas pela tecnologia Tango, o visitante visualiza um conteúdo extra na tela do smartphone quando o aponta para as obras do instituto.

Confira um pouco do que será possível fazer com o Lumin no Detroit Institute of Arts e imagine todas as possibilidades que essa plataforma pode trazer para o desenvolvimento da educação em museus e exposições de arte:

Múmia do Egito Antigo

Nessa interação, é possível visualizar o esqueleto da múmia por dentro das bandagens.

O Portão de Ishtar da Antiga Babilônia

Com o Lumin, você visualizar como a pequena parte presente no museu se encaixava de fato ao Portão de Ishtar completo.

Altos-relevos em calcário da Mesopotâmia

Os desenhos feitos com relevo nas pedras calcárias da antiga Mesopotâmia eram, originalmente, coloridos. Com a realidade aumentada é possível ver como eram.

Selo cilíndrico da Mesopotâmia

Um selo cilíndrico usado para fazer marcas em argila pode ser "utilizado" através da tela do seu telefone.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Tecnologia de realidade aumentada permite a exploração de museus