Headset de realidade aumentada da Apple deve ter chip M2

1 min de leitura
Imagem de: Headset de realidade aumentada da Apple deve ter chip M2
Imagem: Concept Creator/reprodução
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Segundo especulações, a Apple já trabalha em dispositivos realidade aumentada já faz um bom tempo, e agora, novas especulações da Bloomberg indicam que o vindouro headset de realidade aumentada da maçã deve utilizar o recente processador M2, além de 16 GB de memória RAM para funcionar sem travamentos.

O rumor não é uma grande surpresa, visto que desde antes do anúncio do chip M2 na WWDC já se falava que um chip não anunciado deveria integrar o futuro headset da marca. Embora seja teoricamente mais fraco que os chips M1 Pro e M1 Max, o foco do M2 é melhorar a eficiência energética dos aparelhos que o contém.

Segundo o repórter Mark Gurman, a companhia deve produzir o aparelho utilizando a versão mais básica do processador, com 8 núcleos. Assim, a Apple deve conseguir manter o headset em um tamanho compacto e com pouco aquecimento, além de segurar o consumo de energia.

Conceito de como o headset AR da Apple pode serConceito de como o headset AR da Apple pode serFonte:  Future/reprodução 

A reportagem ainda cita que o dispositivo AR deve ter pelo menos 16 GB de memória RAM LPDDR5 para suportar as texturas e imagens em alta resolução. No entanto, detalhes adicionais não foram revelados, como frequência ou se o uso das memórias será feita de maneira mista.

Há poucos dias, um analista revelou que o headset AR da Apple já entrou na fase de desenvolvimento de design, e que os primeiros lotes devem começar a ser produzido apenas em meados de 2024. Outras fontes já afirmam que o dispositivo ainda vai ser lançado no início de 2023.


Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.