Review Galaxy S22 Ultra: desempenho de sobra no novo Note

9 min de leitura
Imagem de: Review Galaxy S22 Ultra: desempenho de sobra no novo Note
Imagem: TecMundo
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

O lançamento do Galaxy S22 Ultra vem para cobrir a ausência de um novo Galaxy Note. A Samsung não lançou nenhum celular da linha Note no ano passado e nem deve fazer isso em 2022. Isso porque a caneta S Pen agora é incorporada ao novo aparelho.

Prós
  • Uma das melhores telas da atualidade.
  • Desempenho sem preocupações para o usuário.
  • Promessa de muitas atualizações de software.
  • Câmeras ainda melhores que a última geração.
  • É o novo Note, agora com S Pen mais rápida integrada.
Contras
  • O alto preço o torna ainda mais nichado (ou proibitivo) do que o habitual.
  • A velocidade de carregamento aumentou, mas o acessório não vem na caixa.

Essa é a primeira vez que a Samsung faz isso na linha Galaxy S, mas o suporte à caneta já havia sido lançado no S21 Ultra. De uma forma mais resumida, a fabricante “tirou” o Ultra da linha, que é o modelo de ponta do Galaxy S, e aí colocou um Galaxy Note no lugar — que foi lançado no mês de agosto nas últimas três edições.

Agora, a linha de celulares premium da Samsung traz o S22 como o top de linha, o S22 Ultra que é o top de linha mais avançado e com a S Pen e tem os dobráveis da linha Galaxy Z, que também têm suas particularidades, como a própria tela que dobra.

Para essa análise, vale pontuar que nós recebemos o S22 Ultra numa baita velocidade do time da Samsung Brasil, inclusive a nossa unidade foi fabricada a Coreia do Sul. No entanto, ele ficou conosco por um curto período de tempo, então nossa análise será baseada em cerca de quatro dias e meio de uso.

Nós entendemos que esse é um período de tempo curto para os testes, especialmente para fechar uma análise minuciosa. Então, assim que for possível passar um período maior com o aparelho em mãos, nós traremos mais conteúdos para vocês.

Design e S Pen

Se a gente colocar o S22 Ultra ao lado do S21 Ultra, há uma diferença notável de visual. Na traseira não existe aquele módulo que abriga todas as câmeras e se “conecta” com as laterais do celular. É tudo liso, mas ele mantém os mesmos cinco sensores numa posição semelhante e bem saltados.

O principal aspecto a ser considerado são as extremidades. O novo S22 Ultra é reto tanto em cima quanto embaixo, e isso por causa da S Pen, fazendo com que seus cantos tenham esse visual clássico de um Note. A caneta fica na parte inferior esquerda, logo ao lado da saída de som. O modelo que nós testamos tem suporte para apenas um chip de operadora.

Tirando essa novidade, a posição de quase todo o resto é parecida. Os botões ficam na lateral direita, a câmera frontal fica localizada em um furo e uma tela enorme aproveita praticamente todo o espaço frontal. As cores também são relativamente parecidas, já que ele mantém esse aspecto fosco.

Esses são celulares pesados, com quase 230 gramas cada. No caso do S22 Ultra, ele tem uma pegada bem firme, só que menos suave que o S21 Ultra que tem os cantos arredondados. De qualquer forma, o que a Samsung fez foi colocar um celular bem elegante no mercado, isso é inegável.

Galaxy S22 UltraGalaxy S22 Ultra é vendido nas cores preto, branco, verde e vinho.

Vale citar que o aparelho é construído em vidro nos dois lados, assim como nos anteriores. A Samsung usa o vidro Gorilla Victus+ e alumínio no contorno da sua estrutura. Ele também traz certificação IP68 para o celular e à caneta, e promete ser bem resistente.

Sobre a S Pen, a Samsung diminuiu a latência de 9 ms do Note 20 Ultra para apenas 2.8 ms. Isso torna a escrita mais natural, mas não deve ser muito fácil detectar esse diferença entre os aparelhos pois a latência já era bem baixa.

A parte boa é que as principais características da S Pen estão presentes aqui. O S22 Ultra conta com os gestos para controlar o celular e a câmera à distância, permite fazer anotações na tela, desenhos e muito mais com precisão, abrindo um grande leque de possibilidades na nova linha. Assim como o Galaxy Note já fazia.

Display

O novo Galaxy S22 Ultra tem uma tela de 6,8 polegadas AMOLED com taxa de atualização adaptativa de 1 Hz até 120 Hz. Isso quer dizer que, em tarefas que não exijam movimento, como vendo uma foto da galeria, ele vai usar o padrão mínimo, e o máximo será usado em jogos compatíveis, por exemplo. Em teoria, isso deve ajudá-lo a consumir menos energia.

A parte legal é que ele permite utilizar a taxa adaptativa enquanto funciona com a resolução máxima, que é de 3088 x 1440 pixels. Outra boa novidade é que essa é uma das telas mais brilhantes da atualidade. Ela tem um pico de 1.750 nits em casos extremos e ainda traz uma opção nos ajustes para oferecer um “brilho extra”.

Galaxy S22 UltraDurante os testes, utilizando o S22 Ultra apenas com a resolução máxima com a taxa adaptativa de 120 Hz.

Se a sua ideia é encontrar um celular que ofereça, talvez, a melhor experiência da atualidade com telas, o S22 Ultra é um forte candidato. As cores são bem vibrantes, o movimento é suave, a S Pen facilita o uso em uma série de ocasiões e o tamanho, vamo concordar, é bem confortável para trabalhar, assistir, jogar e mais.

Ele também traz um leitor de impressão digital sob a tela, assim como nas últimas gerações, e que também se mostrou bastante preciso.

Bateria

No Galaxy S22 Ultra nós temos 5.000 mAh de bateria, como no S21 Ultra. O que muda é a velociade de carregamento, que sobe para 45 W. Mas o carregador não vem na caixa, embora o consumidor brasileiro possa “pedir” um acessório do tipo à marca, separadamente, logo após a compra do celular.

De acordo com a Samsung, o aparelho tem energia o suficiente para mais de um dia em uso, uma característica apoiada pela inteligência artificial. Aqui com a gente, o S22 Ultra atingiu uma média de 6h30 de tela ligada, saindo da manhã de um dia até a próxima manhã. Mas esses resultados podem variar bastante.

A descarga média por hora com vídeos do YouTube foi de -8%, enquanto que com serviços de streaming como HBO Max e Netflix ela foi de -7,5%. Com jogos como Pokémon Go, League of Legends: Wild Rift, Call of Duty e outros, ela variou de -10% a -15% por hora.

Quanto ao tempo de carregamento, nós usamos um carregador de 30 W durante os nossos testes. Com ele, foi possível obter 13% de energia em 15 minutos e 57% após 1h na tomada. De fato, para quem quiser aproveitar um carregamento mais rápido, será preciso adquirir um acessório mais potente.

Nós também realizamos um teste com um carregador de uma fabricante concorrente, com 65 W de potência, mas o celular limitou a velocidade de carregamento.

Desempenho e software

O Galaxy S22 Ultra que nós testamos traz uma configuração de hardware com 12 GB de RAM, 256 GB de armazenamento e o processador Snapdragon 8 Gen 1. Além disso, o software permite alocar de 2 GB até 8 GB de RAM virtual, que seria um adicional ao que já existe. O difícil, entretanto, é precisar utilizar tudo isso na rotina.

Ele também chega com Android 12 e a One UI 4.1, versão atualizada da interface da Samsung. A promessa da empresa é de que ele receberá quatro atualizações de sistema operacional, chegando teoricamente até o Android 16.

Galaxy S22 UltraNovo Galaxy S22 Ultra t

A ficha técnica do aparelho também inclui Wi-Fi 6E, Bluetooth 5.2 e 5G mmWave, que inclusive adiciona um “recorte” na lateral direita para facilitar a vida das antenas. Na vida real, todo esse conjunto se traduz em segurança de uso, com pouquíssimas — senão nenhuma — preocupações para o usuário.

Ou seja: em outras palavras, ele oferece tudo e mais um pouco que um celular da atual geração tem para o público. Tudo é executado com grande agilidade, o celular não demora para exportar edições em imagens ou vídeos, aplicativos e jogos são mantidos em segundo plano também sem problemas e tudo mais que um celular de R$ 10 mil pode oferecer.

Câmeras

Boa parte desse desempenho robusto é graças ao novo processador, que tem influência em outras áreas, como nas fotografias. Na linha Galaxy S22, a Samsung trouxe um novo recurso chamado de Nightography, que garante imagens mais claras em ambientes pouco iluminados. As câmeras também tiram um melhor proveito dos pixels maiores, garantindo imagens mais nítidas e detalhadas ao combiná-los.

Galeria 2

São quatro sensores de câmera na traseira: o principal tem 108 MP, o ultra-wide tem 12 MP, e existem ainda dois sensores de zoom óptico de 3x e 10x com 10 MP cada. Aqui, vale mencionar que a Samsung tem uma grande vantagem em comparação com a concorrência tratando-se de zoom, e isso fica claro comparando com o S21 Ultra e com o iPhone 13 Pro.

Mas também vale citar que o zoom acima de 10x pode ser prejudicado, dependendo da iluminação. Até 30x, ainda é possível capturar boas imagens, mas a definição já começa a ser perdida, bem como as texturas. Com o zoom de 100x, onde é possível fazer fotografias até da lua, nós notamos melhorias em comparação com o S21 Ultra. Apesar de ser um recurso que não é essencial, o zoom mais avançado permite aproveitar diferentes ângulos, visualizar objetos mais distantes e afins.

Galeria 1

O que temos, de fato, são imagens mais claras até mesmo durante o dia. Não apenas isso, mas as cores capturadas pelo aparelho são ainda mais expressivas do que o modelo anterior, deixando tudo com um aspecto mais contrastado. O mesmo também vale para as selfies de 40 MP e nas fotografias com o modo retrato, onde o contorno fica bem alinhado.

Para quem curte fazer vídeos, o S22 Ultra é capaz de gravar em Full HD e 4K com 30 fps ou 60 fps, e em 8K com 24 fps. Na frontal, ele pode fazer filmagens em até 4K com 60 fps. Os resultados também trazem alta qualidade e fidelidade de cores, e a estabilização óptica dos sensores permite capturar imagens menos tremidas.

Outra novidade é o modo profissional para quase todas as câmeras. Ele está disponível no app de câmera, mas também no app Expert RAW. Com ele, é possível ajustar manualmente o ISO, velocidade do obturador, foco, balanço de branco e mais da câmera principal, de ângulo aberto ou de zoom.

Vale a pena?

Lançado por R$ 9,5 mil na configuração com 256 GB de armazenamento, o Galaxy S22 Ultra reúne algumas das melhores características que a Samsung lançou para seus aparelhos nos últimos anos. A aproximação do novo celular com a linha Note é nítida e, aparentemente, veio para ficar.

Como sendo um produto nichado, ele carrega funções de produtividade, poder de fogo de sobra para jogos e fotografias a nível profissional, tal qual era de se esperar. E estamos falando de um produto de ponta bastante completo, o que pode agradar até mesmo quem já é acostumado a utilizar produtos de outras fabricantes.

Apesar dos upgrades na câmera, processador e hardware de forma geral, ainda é possível obter grandes resultados de aparelhos anteriores, como do S21 Ultra. A linha iPhone 13 Pro também oferece uma ampla gama de possibilidades aos usuários, mas sem os adicionais de zoom óptico e fotografias em baixa luz com maior qualidade do S22 Ultra.

Também vale pontuar que os outros modelos da linha S22 contam com diversos desses novos modos de fotografia, e que eles também são mais baratos. Até que seu preço seja reduzido com o passar do tempo, vale ponderar se pagar R$ 10 mil em um celular é viável ou não. Mas recursos de sobra, é claro, isso ele tem.

Você sabia que o TecMundo está no Facebook, Instagram, Telegram, TikTok, Twitter e no Whatsapp? Siga-nos por lá.