A Google anunciou recentemente que está trabalhando em uma nova forma de treinar seus apps de Inteligência artificial no Android. Em suma, o novo procedimento oferece mais privacidade ao usuário ao passo que também traz melhorias para as aplicações mais rapidamente. Ou seja, você será duplamente beneficiado e não terá que abrir mão de nenhuma informação pessoal para isso.

Seu smartphone está se tornando o computador que de fato “pensa” e aprende com seus hábitos de uso

Para tal, a Google está implementando versões bem simplificadas da sua plataforma de aprendizado de máquina, o TensorFlow, em apps que nós já utilizamos no dia a dia, como o GBoard. O teclado da Google é o primeiro app da empresa a contar com a novidade, que vai processar os dados de uso localmente e, ali mesmo, fazer as melhorias em seus algoritmos. Dessa maneira, seu smartphone está se tornando o computador que de fato “pensa” e aprende com seus hábitos de uso.

Até agora, os dados coletados eram enviados para os servidores da Google e só então eram processados por uma série de supercomputadores, os quais faziam os ajustes necessários nos algoritmos inteligentes de todos os apps da Google. Agora, o GBoard se tornou relativamente independente e está aprendendo e melhorando a si mesmo diretamente no seu celular.

O fato de o app não enviar mais os dados referentes ao que você escreve, apaga e aceita como sugestão no teclado diminui a poder de vigilância que a companhia tem sobre seu dispositivo. Em consequência, sua privacidade fica mais protegida. Quando a Google começar a fazer o mesmo com todas as suas aplicações, seu smartphone se tornará uma verdadeira máquina de inteligência artificial, e grande parte das suas informações pessoais nunca será enviada para a nuvem para processamento.

O outro benefício é que as melhorias no algoritmo processadas pelo seu smartphone são aplicadas ao GBoard muito mais cedo, sem que você tenha que esperar uma atualização via Google Play.

O processamento de dados só será feito quando o celular estiver em repouso, conectado à tomada e à uma rede WiFi

É interessante notar, entretanto, que esse trabalho extra que seu dispositivo será responsável por fazer não terá impacto no desempenho cotidiano nem na autonomia de bateira. Isso porque o processamento de dados só será feito quando o celular estiver em repouso, conectado à tomada e à uma rede WiFi. Assim, o processamento dos dados é feito sem que você perceba, e as melhorias no algoritmo são enviadas à Google sem que seu plano de dados seja impactado. Um detalhe interessante é o fato de essas melhorias não contarem com nenhum dado pessoal.

Ainda não há uma expectativa para quando essa mudança será implementada de forma mais abrangente no Android, mas a Google espera que essa nova abordagem seja mais eficiente e deixe os usuários mais protegidos.

Cupons de desconto TecMundo: