(Fonte da imagem: Tecmundo)

Uma das novidades apresentadas pela NVIDIA hoje na GTC 2014 foi o NVLink, um sistema que promete tornar mais eficiente a conexão entre CPU e GPU nos computadores.

Segundo a fabricante, esse recurso poderá tornar a transmissão de dados até 12 vezes mais eficiente que nos sistemas atuais, acabando completamente com os possíveis gargalos que temos hoje.

O NVLink foi desenvolvido pela NVIDIA em conjunto com a IBM. Esta última que deverá implementar a arquitetura nas futuras versões de suas CPUs da linha POWER. O NVLink é baseado na arquitetura PCI Express e funciona fazendo uma troca rápida de dados entre CPU e GPU.

As GPUs atuais são conectadas aos processadores x86 através da interface PCI Express. O problema é que essa interface limita o acesso da GPU à memória principal do sistema. Essa banda de conexão é cerca de quatro vezes menor que a da velocidade da própria memória RAM, e isso acaba sendo um gargalo toda vez que a GPU precisa de algum dado que está armazenado na memória RAM principal da máquina.

A grande vantagem do NVLink é que ele poderá ampliar essa banda, fazendo com que ela seja igual à velocidade da memória do sistema. Esse tipo de aceleração vai ampliar muito a velocidade de processamento da máquina e, de quebra, consumir menos energia que a arquitetura PCI Express tradicional.

(Fonte da imagem: Divulgação/NVIDIA)

Em grande parte dos sistemas temos o seguinte cenário: placa de vídeo com memória rápida, mas em pouca quantidade. Do outro lado temos a CPU, que traz uma quantidade razoável de memória mais lenta.

Muitos aplicativos trabalham da seguinte maneira: eles enviam os dados para a RAM principal para que ela possa ser, aos poucos, copiada para a memória de vídeo para que ela possa ser processada pela GPU. Tirando esse “atraso” que existe no meio do caminho, é possível acelerar o processamento dos dados.

Memória unificada

Outro recurso importante que deve chegar com a arquitetura Pascal é a memória unificada que promete simplificar a programação da GPU. O que ela faz é permitir que tanto a memória da GPU quanto da CPU sejam tratadas como um único bloco. Desse modo, o programador poderá criar um software que veja toda a memória do sistema como uma coisa só.

A NVIDIA desenvolveu um módulo para que as GPUs da arquitetura Pascal possam ser conectadas aos PCs. Esse módulo é cerca de um terço do tamanho das placas PCIe padrão utilizadas hoje. Apesar disso, as GPUs Pascal devem continuar sendo compatíveis com o padrão PCI Express. A nova interface só poderá ser utilizada em conjunto com CPUs que tragam suporte ao NVLink.

Infelizmente essa nova arquitetura ainda deve demorar um pouco para chegar ao mercado. Segundo a NVIDIA, as GPUs Pascal chegam apenas em 2016.

Cupons de desconto TecMundo: