(Fonte da imagem: iStock)

A “guerra” para provar se a pirataria faz bem ou mal para a indústria nunca acaba. Isso porque, de um lado, pesquisas que mostram que a pirataria de fato é de grande ajuda para espalhar um conteúdo para o público existem de sobra.

Mas se a situação está cada vez melhor, por que vemos outros estudos dizendo que a pirataria está fazendo com que as indústrias de entretenimento tenham quedas tão absurdas?

De acordo com uma feita recentemente pela Escola de Londres de Ciências Econômicas e Políticas, a culpa está no lobby feito por várias companhias cujos mercados estão perdendo espaço para outras mídias – aquelas que são mais ajudadas pela pirataria, como o Netflix e o SoundCloud.

Um dos maiores exemplos disso está na indústria de música. Os números mostrados por eles provam que a indústria está, na verdade, se adaptando ao formato digital.

Lutando contra a perda de mercado

“Ao contrário do que a indústria afirma, a indústria musical não está em declínio terminal, mas ainda se mantém de pé e mostrando lucros saudáveis. Receitas de vendas digitais, inscrições de serviços, transmissões e performances ao vivo compensam pelo declínio dos lucros da vendas de CDs”, explicaram, no artigo publicado no Scribd.

Outros números revelados pela pesquisa vêm para reforçar esse fato. A indústria de filmes, tão alardeada como em contínuo declínio pela Motion Picture Association of America devido à pirataria, teve um crescimento em lucros de 35 bilhões em 2012; 6% além dos ganhos em 2011.

Por fim, os pesquisadores recomendam enfaticamente para o governo americano que o uso de políticas anti-pirataria não é algo eficaz. Segundo eles, os métodos utilizados atualmente apenas prejudicam algumas poucas pessoas: o que precisamos mesmo é de um equilíbrio entre os interesses de diversas partes, como das indústrias de entretenimento, dos serviços provedores de internet e de quem usa a internet.

Cupons de desconto TecMundo: