A Panasonic sempre teve certo respeito dentro do segmento de fones de ouvido, oferecendo um amplo portfólio de produtos que atende desde o cidadão que procura um headphone simples para ouvir suas músicas prediletas até o DJ profissional que demanda equipamentos de altíssima qualidade para trabalhar.

No atual catálogo da companhia, um modelo em específico se destaca por levar o conceito de portabilidade a um nível superior. Estamos falando do DJ Street 200 (RP-DJS200), que pode ser completamente dobrado para facilitar seu transporte em bolsas e mochilas – quando totalmente compactado, o headphone fica com a metade de seu tamanho original, ocupando bem menos espaço do que fones de ouvido supra-auriculares.

A Panasonic conta ainda com uma campanha de marketing interessante, anunciando o aparelho como “os fones escolhidos pelo Filipe Toledo” (famoso surfista brasileiro). O produto já está disponível nas gôndolas brasileiras há alguns meses e pode ser encontrado no comércio virtual por preços que variam de R$ 110 a R$ 160. Esse é um valor que pode ser considerado alto para um headphone de entrada, logo, resolvemos passar alguns dias experimentando o RP-DJS200 para conferir se o investimento realmente vale a pena ou não.

Especificações

  • Drivers: ímãs de neodímio de 28 mm
  • Resposta de frequência: 12 hz – 25 kHz
  • Impedância nominal: 24 Ω
  • Sensibilidade: 105 dB/mW
  • Peso: 0,205 kg
  • Comprimento do fio: 1,2 metro

Apresentação do produto

Não espere por algo no naipe de um Cloud II por aqui: o RP-DJS200 vem em uma embalagem simples de plástico maleável, com metade de seu corpo dobrado, já exibindo sua “flexibilidade” para quem vê-lo nas prateleiras de sua loja predileta. A caixinha do modelo até que é bonita e chama a atenção, sendo enfeitada com a temática “cenários urbanos” (afinal, lembremos que o nome do modelo é “DJ Street”, que pode ser traduzido como “DJ de rua”). A embalagem retrata uma parede de tijolos e uma cerca de arame parcialmente rompida.

O RP-DJS200 foi lançado mundialmente com diversas opções de cores, mas infelizmente o Brasil recebeu apenas a edição preta (cujo código diferencial é RP-DJS200-K) de forma oficial. É possível encontrar o aparelho nas cores branca (RP-DJS200-W) e amarela (RP-DJS200-Y) por vias alternativas, como importadores que comercializam seus produtos através do Mercado Livre, mas lembre-se que tais modelos não são oficialmente distribuídos em nosso país pela própria Panasonic.

Design e construção

Como esperado de um headphone de baixo custo, o DJ Street 200 possui um corpo totalmente construído em plástico, com almofadas que visualmente lembram a textura de couro. O que decepciona de imediato é a falta de qualquer material acolchoado na tiara do produto; uma leve camada de espuma ou borracha nessa região é preciosa para evitar dores e incômodos quando você está descansando os fones de ouvido em seu pescoço.

Visualmente falando, o produto não apresenta nenhuma característica marcante, sendo parecido com muitos outros headphones disponíveis no mercado. Há um sistema simples e tradicional para regular o tamanho da tiara e adaptá-la ao tamanho de sua cabeça com facilidade. As almofadas são bem macias e, apesar de não cobrirem completamente a orelha, não chegam a machucar.

O único diferencial do gadget é, de fato, a possibilidade de dobrar o seu corpo até que o modelo esteja em uma forma bem mais compacta. São três pontos de dobra: um em cada junção do alto-falante com a tiara e outra no meio do arco. Esse sistema funciona bem e, de fato, o RP-DJS200 se torna bastante portátil quando está completamente dobrado, facilitando seu transporte.

O problema é que tais dobradiças não parecem muito confiáveis, e ficamos com a impressão de que elas se quebrarão rapidamente caso o usuário não tenha cuidado enquanto “abre e fecha” seu fone de ouvido. A bisagra localizada na tiara do DJ Street 200 é particularmente frágil e não deve aguentar muito tempo até se tornar frouxa ou inclusive se partir no meio, obrigando o usuário a adquirir um novo headphone ou levar o seu para a assistência técnica autorizada.

Qualidade sonora

O RP-DJS200 possui drivers com ímãs de 28 mm – bem menores do que os de 40 mm empregados no RP-HX550E, outro headphone que constitui o atual portfólio de produtos da Panasonic. Como esperado, a qualidade sonora do DJ Street 200 fica na média do mercado, sendo impossível considerá-la “excelente”, mas sendo exagero categorizá-la como “ruim”. Como quase todos os modelos de fones de ouvido da marca japonesa, o produto analisado prioriza os sons graves enquanto sacrifica uma harmonia com os agudos.

O isolamento acústico também deixa a desejar, sendo possível ouvir ruídos externos facilmente caso você não esteja escutando música com o volume em níveis mais altos (o que é prejudicial para a saúde de seu sistema auditivo, diga-se de passagem). Pelo menos o RP-DJS200 não sofre com vazamento de áudio – ou seja, aqueles que estiverem perto de você não conseguirão escutar aquilo que você estiver ouvindo.

Vale observar que o DJ Street 200 não possui regulador de volume em seu cabo, sendo necessário alterar a potência sonora diretamente na fonte emissora (seu PC, smartphone, tocador de MP3 e assim por diante). Ainda que alguns audiófilos defendam que tais reguladores interferem na pureza do áudio e devem ser eliminados do mercado, outros consumidores certamente sentirão falta desse prático apetrecho (especialmente quem planeja usar o headphone em um celular no transporte público, situação em que tirar o aparelho do bolso a todo instante é algo bastante incômodo).

Vale a pena?

A menos que você valorize muito o quesito portabilidade e esteja procurando um headphone que possa ser transportado até mesmo no menor bolso daquela sua mochila, fica difícil recomendar o DJ Street 200 para alguém. O produto não é exatamente ruim, mas decepciona por ser visivelmente frágil e pela qualidade sonora que fica aquém do esperado para um modelo dentro dessa faixa de preço. Não é difícil encontrar modelos mais potentes e resistentes pela mesma média de valor praticada no mercado brasileiro.

O produto cumpre sua promessa de ser leve e portátil, desejando exterminar o principal ponto negativo de fones de ouvido supra-auriculares (o tamanho, que dificulta seu armazenamento e transporte); contudo, a Panasonic sacrificou muitos outros pontos do RP-DJS200 em prol dessa característica específica. Os drivers pequenos e a fragilidade da construção não colaboram para uma experiência de uso agradável para o consumidor.

Em resumo, o único público que conseguirá tirar proveito do DJ Street 200 é aquele que não se importa em deixar a qualidade sonora de lado para ter um gadget que possa ser transportado com maior facilidade. Se você não se enquadra nesse perfil, procure outro modelo.

Cupons de desconto TecMundo: