Faz sentido gastar mais em um notebook com Intel Core i5? (Fonte da imagem: Divulgação/Intel)

A evolução é um processo natural, afinal, não chegaríamos até aqui se estivéssemos presos ao passado. Acontece que melhorias têm seus custos. Muitas vezes, algo que não se adapta não pode continuar existindo.

O mercado de PCs mudou completamente. Desktops ficaram mais potentes. Laptops ficaram menores. Apareceram os netbooks. Conhecemos os ultrabooks. Sumiram os netbooks. Fomos apresentados aos híbridos.

Tudo isso e muito mais aconteceu nos últimos dez anos. Entre todos esses acontecimentos, vale destaque para a curta vida dos netbooks. Os pequeninos lançados especialmente para um público menos exigente acabaram não encontrando um espaço de conforto.

Acontece que, agora, outro segmento de computadores pode acabar sendo prejudicado por conta da evolução e falta de adaptação. Notamos ultimamente que os notebooks de médio desempenho estão seguindo para um destino cruel e sofrível: a extinção.

Intel Core i5 oferece poucas vantagens a mais do que Intel Core i3  (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Hoje, vou propor alguns pontos relacionados a esta questão, mostrando o porquê de estes aparelhos estarem sofrendo e quais são os vilões desta história. Se a aquisição de um notebook está entre seus planos futuros, este artigo é parada obrigatória.

A culpa é do mais fraco

Na última década, além da mudança no foco dos produtos, presenciamos uma evolução gigantesca dos componentes de hardware. Processadores com mais núcleos e maiores frequências. Chips gráficos mais robustos e refrigerados.

Para debater, vamos nos ater aos chips Intel Core i3 e Core i5 (nada contra os componentes da AMD, mas eles não servem para nosso exemplo). Bom, primeiro é preciso considerar que há uma enorme variedade de produtos. Considerando apenas os modelos Intel Core de 3ª geração, temos mais de 20 modelos disponíveis.

(Fonte da imagem: Divulgação/Intel)

E, conforme publicamos em nossa tabela completa de especificações, nesse punhado de componentes, nenhum chip Intel Core i3 ou i5 conta com quatro núcleos. A diferença básica entre eles consiste apenas no clock e na presença da tecnologia Turbo Boost nos processadores Core i5.

Peguemos dois modelos de exemplo: o Intel Core i5-3380M (2,9 GHz) e o Intel Core i3-3130M (2,6 GHz). Tirando a questão da potência adicional (o i5 pode alcançar clock de 3,6 GHz) em casos de necessidade, essa pequena alteração de 300 MHz entre os dois não proporciona resultados tão superiores no modelo mais robusto.

Nas tantas análises de notebooks que realizei no Tecmundo, me recordo perfeitamente que nunca um laptop equipado com Intel Core i3 deixou a desejar para tarefas do cotidiano. Na prática, o consumidor que busca apenas um PC para navegar na web, digitar seus textos, jogar no Facebook ou ver vídeos no YouTube pode perfeitamente optar por um notebook com i3.

Insuficiente para jogos

Bom, se você já é um gamer que usa o PC como plataforma de jogos, deve estar ciente de que o Intel Core i3 é um processador que aguenta, razoavelmente, muitos games. Acontece que, no caso dos notebooks, é muito difícil encontrar um laptop para jogatina que venha com os chips mais fracos da Intel — isso porque os chips Intel HD Graphics não servem para jogos!

Notebook da Acer com Intel Core i5 não aguenta rodar jogos (Fonte da imagem: Tecmundo/Baixaki)

Modelos com Intel Core i5 e uma GPU dedicada já são mais comuns, mas ainda não são ideais. Mesmo os processadores mais robustos desta linha não são capazes de rodar bem os games. O motivo principal é a presença de apenas dois núcleos, que inviabiliza a execução de alguns títulos mais pesados.

Assim, quando o assunto é notebook gamer, a melhor opção é um processador Intel Core i7 (de preferência um modelo de quatro núcleos) com um componente gráfico devidamente capacitado. A combinação é infalível e, quando um chip decente é instalado, bons resultados são presenciados até mesmo nos games mais recentes.

Quem deseja comprar?

No mercado brasileiro, temos diversos tipos de consumidores, mas acho interessante destacar três perfis comuns: o consumidor que busca o melhor custo-benefício, o consumidor que deseja um notebook razoável e o gamer.

O primeiro é o consumidor que quer gastar o mínimo possível e obter o máximo — ou seja, a maioria de nós (eu me incluo neste grupo). Este é o comprador que certamente opta por um Intel Core i3 ou que, em algumas situações, vai de AMD para obter um chip gráfico de boa qualidade e pagar pouco.

(Fonte da imagem: Divulgação/Intel)

O segundo perfil é aquela pessoa que às vezes pensa que está fazendo uma grande jogada ao aplicar quase o dobro de dinheiro (de uma máquina simples) em um notebook intermediário. Esse é o consumidor que enganosamente acha que terá grandes benefícios ao optar por um laptop com Intel Core i5.

Por fim, temos o gamer. Este é o público que se vê obrigado a gastar — e que, muitas vezes, precisa economizar um bocado — para se beneficiar do hardware de alta capacidade. Consumidores deste grupo passam longe do Intel Core i5, pois necessitam de processadores com quatro núcleos.

O que vai acontecer com os notebooks intermediários?

A moral da história — que é apenas a minha opinião — é a seguinte: os notebooks com Intel Core i3 suprem as necessidades básicas do consumidor, enquanto os laptops com Intel Core i7 (e uma GPU dedicada) atendem perfeitamente aos jogadores.

Para mim, é só uma questão de tempo até que os notebooks intermediários saiam de linha ou, quem sabe, o Intel Core i5 vire o modelo básico e o Core i3 seja extinto. Essa segunda ideia, inclusive é a mais interessante para a Intel, que lucra mais vendendo um produto que custa pouquíssimo quando fabricado em larga escala.

Se repararmos bem, até o momento, a Intel não lançou um modelo sequer do Intel Core i3 de quarta geração. Pode ser que algum chip apareça em breve, mas, por ora, podemos suspeitar da fabricante. Seja como for, felizmente há muitas opções de processadores (incluindo os da AMD), o que pode resultar em ótimos preços para nós. O que você acha sobre os laptops de médio desempenho? Será que eles vão ficar cada vez mais sem mercado?

Cupons de desconto TecMundo: