Quem acompanhou a Nokia desde o começo de sua história sabe que a companhia finlandesa já foi uma das maiores do mundo em telefonia, sendo pioneira em diversos aspectos deste setor.

A falta de timing e algumas más decisões, no entanto, acabaram levando a empresa a perder bastante mercado para a Apple e a Google, mas é impossível se esquecer de todos os feitos históricos da marca.

A verdade é que a Nokia criou muitos conceitos e teve várias ideias pioneiras, mesmo que a execução não tenha se saído tão bem quanto os concorrentes posteriormente. Nessa lista você encontra alguns feitos que a companhia finlandesa conseguiu realizar antes da Google, mas que acabaram popularizados depois pela gigantes de Mountain View.

1 – Navegação por mapas no celular

É impossível pensar hoje em um mundo sem o Google Maps. O sistema de mapeamento da empresa é um dos melhores e mais completos do mercado e está embutindo em diversos aparelhos e sistemas, com várias ferramentas sociais e de navegação. Porém, essa função só chegou de graça nos celulares no final de 2009!

A Nokia, que nessa época ainda tinha uma fatia enorme do mercado de aparelhos móveis, já vinha provendo navegação por meio do Ovi Maps nos celulares desde 2007. O recurso era limitado, mas conseguia tranquilamente levar você de um ponto a outro, e no final das contas era isso que importava.

Atualmente, o Google Maps é o sistema de mapas mais famoso e usado, estando presente em todos os grandes sistemas móveis, mesmo os da concorrência. A Nokia, no entanto, não abandonou completamente o seu próprio navegador por mapas; ele agora se chama HERE e está disponível para o Windows Phone, Android e Windows 8.

2 – Uso de browser móvel baseado em Webkit 

O Webkit é uma engine para a renderização de páginas em navegadores e muitos dos browsers atuais são construídos usando esse motor — Google Chome (no computador e para os dispositivos móveis), Safari e Opera são apenas alguns exemplos.

Em 2005, a Nokia foi a primeira a colocar um navegador móvel usando o Webkit em um smartphone — o S60, que foi usado em aparelhos bem famosos, como o N95 e o E71, veio bem antes do primeiro browser desse tipo para o Android. Este navegador para o sistema móvel da Google só chegou no final de 2008, sendo mostrado pela primeira vez no T-Mobile G1.

3 – Apresentação de um “iPhone killer”

Atualmente é muito difícil que alguém chame um aparelho de “iPhone killer”, já que o mercado finalmente percebeu que nenhum dos sistemas móveis vai realmente matar o outro. Por muito tempo as pessoas acharam que o Android fosse a “esperança” de isso acontecer, mas a verdade é que muito antes disso os aparelhos da Nokia já haviam recebido esse título.

É justo dizer que os primeiros smartphones da Nokia eram aparelhos realmente capazes de rivalizar com o iPhone na época, sendo que muitos deles possuíam especificações bem interessantes — o N97, o próprio N95 (um dos maiores sucessos da finlandesa no mercado de aparelhos móveis no Brasil) e vários outros modelos foram alvo dessa especulação entre 2008 e 2010.

Quando os Androids “originais” — como o Galaxy S, o Nexus One e o Motorola Droid — apareceram no mercado, entre 2009 e 2010, no entanto, o título de “iPhone killer” chegou com força total e muitas pessoas realmente acreditaram que seria o fim do celular da Apple. Não foi o que aconteceu, mas isso acabou ajudando a afundar a Nokia.

4 – Uma plataforma online para games

Este é um dos itens que claramente não deram certo para a Nokia, mas que a Google soube desenvolver depois com bastante sucesso. Entre 2007 e 2008 a companhia finlandesa lançou o N-Gage, uma mistura de smartphone e plataforma online e que acabou sendo um dos maiores fracassos da empresa.

O aparelho era uma espécie de videogame portátil com telefone e outras ferramentas embutidas, mas o portal N-Gage podia ser acessado de outros dispositivos para jogar online e marcar os seus recordes, por exemplo. Mais de 60 games foram lançados para essa plataforma, mas ele acabou sendo um fracasso de vendas e não durou muito.

A Nokia até tentou lançar uma loja de games na Ovi Store posteriormente, mas isso acabou mostrando-se tão pouco efetivo quanto a ideia anterior. Já a Google, por outro lado, teve grande parte do sucesso do seu sistema graças aos games que foram desenvolvidos ou migrados para o Android. Em 2013, uma plataforma online foi lançada e ela desde então vem se mostrando uma decisão acertada da empresa.

5 – Aplicativos de fontes externas

Assumir que um celular vem de fábrica com tudo o que o usuário precisa é algo impensável atualmente — as lojas de apps do Android, iOS e Windows Phone são provas disso —, mas a Nokia já pensava nisso há muito mais tempo do que parece. Mesmo sem uma loja para unificar os downloads, desde 2005 o Symbian já permitia a instalação de apps de terceiros.

Quando o iPhone foi lançado, por exemplo, aproximadamente 10.000 apps estavam disponíveis para o Symbian, algo que pode até parecer muito, mas foi rapidamente ultrapassado pela loja do iOS. Em 2009, a Nokia abriu a Ovi Store, mas já era tarde demais — no mesmo ano a Play Store (ainda como Google Market) foi aberta e abocanhou a maior fatia do mercado.

Atualmente, a loja de apps do iOS e a do Android podem ser consideradas igualmente gigantes, com a Windows Store correndo para tentar alcança-las. Ter atrasado alguns anos para lançar a Ovi Store pode ter sido um dos maiores erros da Nokia, que saiu em primeiro lugar, mas acabou deixada para trás pelos outros participantes dessa “corrida”.

6 – O sistema móvel mais usado no mundo

Atualmente, principalmente pela quantidade de modelos disponíveis, os aparelhos com Android são a maior fatia do mercado de smartphones. Porém, em algum ponto da história, esse posto já foi da Nokia. Falar isso hoje em dia parece um pouco absurdo, mas até aproximadamente 5 anos atrás, o sistema da finlandesa ainda era maioria no mercado móvel.

Em 2008 — o primeiro ano oficial do Android — o Symbian estava em mais de 50% dos aparelhos celulares vendidos, enquanto o OS da Google fechou aquele ano sem conseguir conquistar sequer 1% desse mercado.

Gráfico mostra a evolução do Android e a queda do Symbian ao longo dos anos

Isso não durou muito, no entanto: o que ninguém (na época) esperava aconteceu e em 2010 o Android ultrapassou o Symbian. De lá pra cá, a fatia do sistema operacional móvel da Google só fica maior: atualmente por volta 80% dos aparelhos móveis usam esse OS.

Cupons de desconto TecMundo: