Reserve o ano de 2030 e prepare-se para tirar sua antena do telhado. É que Reed Hastings, CEO do Netflix, afirma que as transmissões de televisão serão encerradas daqui a 16 anos. A fala do executivo foi feita durante um evento realizado na Cidade do México. “É parecido com o que houve com o cavalo: ele foi bom até a chegada dos carros”, explicou Hastings, segundo informa o portal The Hollywood Reporter.

O responsável por gerir um dos maiores serviços de streaming do mundo acredita que os consumidores têm adotado formas cada vez mais alternativas de se consumir conteúdo televisivo. Exemplo disso é o fato de que o Netflix abocanha mais de um terço de todo o tráfego de internet nos EUA durante períodos de pico – nenhum outro serviço registra dados assim.

As mudanças na forma de consumo de mídia, porém, não deverão extinguir os canais de televisão. De acordo com Hastings, as provedoras irão se adequar à nova realidade, migrando para plataformas móveis. Mas a chamada de atenção é clara: “a era da transmissão de TV irá durar provavelmente até 2030”, diz o CEO do Netflix.

As previsões do figurão não param por aí. “Estamos tentando chegar a um lugar completamente global, onde todos podem conseguir qualquer coisa em qualquer lugar. Também estamos quebrando o domínio do cinema [com relação aos grandes lançamentos de filmes]”, observa Hastings.

Outro dos diferenciais dos serviços de streaming em ascensão é a forma de monitoramento de audiências - que poderão reformular as maneiras de transmissão de conteúdo e veiculação de propagandas. “[As visualizações] não são realmente importantes. Há tanta visualização feita por meio de celulares e iPads que as novas formas [de monitoramento] não vão identificar”, pontua o executivo.

Cupons de desconto TecMundo: