A Motorola surpreendeu o mundo na manhã desta terça-feira (13). Com eventos organizados quase simultaneamente ao redor de todo o globo, a companhia – recentemente adquirida pela Lenovo – anunciou oficialmente o Moto E, seu novo smartphone voltado para os mercados emergentes.

De acordo com Steve Sinclair, vice-presidente de marketing de produtos da empresa, o Moto E foi projetado tendo em vista que grande parte da população mundial ainda utiliza feature phones – ou seja, telefones com “telas pequenas, processadores lentos e sistemas operacionais defasados”, nas palavras do próprio executivo.

Foi então que surgiu a ideia de criar um modelo de smartphone que fosse durável e acessível a todos, sendo uma alternativa perfeita para quem deseja comprar seu primeiro celular inteligente. O Moto E estará disponível inicialmente em 40 países, com possibilidade de expansão para outros mercados com o passar do tempo.

O TecMundo esteve presente no evento de anúncio do gadget e conseguiu colocar as mãos nele durante alguns minutos. Confira agora nossas primeiras impressões sobre o aparelho e conheça mais a fundo as suas principais características!

Especificações técnicas

  • Tela de 4,3 polegadas com 540x960 pixels de resolução (qHD)
  • Sistema operacional Android 4.4 KitKat
  • Processador Qualcomm Snapdragon 200 dual-core de 1,2 GHz
  • GPU Adreno de 400 MHz
  • 1 GB de memória RAM
  • 4 GB de armazenamento interno (expansível com cartão micro SD de até 32 GB)
  • Câmera traseira de 5 MP
  • Medidas: 12,4 x 6,4 x 1,23 cm
  • Conectividade: 3G, WiFi, Bluetooth 4.0, GPS, micro USB e Rádio FM
  • Bateria de 1.980 mAh

Barato, mas bonito e resistente

Sejamos sinceros: é realmente difícil encontrar um smartphone de entrada cuja construção passe uma sensação de durabilidade e robustez. Geralmente, aparelhos de baixo custo são feitos de plástico barato e são visivelmente frágeis, tendo sua estrutura danificada na primeira queda sofrida.

Ao que tudo indica, essa não é uma característica do Moto E. Com a traseira fabricada no mesmo material encontrado no já popular Moto G, o novo celular é de fato um produto que transmite sensação de firmeza e resistência, dissipando aquele medo inicial de quebrá-lo ao mínimo impacto.

Ainda que não seja completamente à prova d’água, o aparelho é “resistente a respingos” e tem uma tela fabricada com o famoso vidro Gorilla Glass (menos suscetível a pequenos riscos e com maior durabilidade).

Visualmente falando, o Moto E pode ser considerado um smartphone atraente. Ele lembra bastante seus irmãos mais velhos, diferenciando-se sobretudo por conta das duas barrinhas em sua frontal (speaker e microfone). Tão ergonômico quanto o Moto G, o novo gadget oferece uma pegada confortável e não escorrega de suas mãos com tanta facilidade.

Hardware de respeito

Como você já deve ter conferido em nossa matéria anterior, o Moto E possui especificações atraentes para um modelo de entrada. O processador é um dual-core de 1,2 GHz, potência o suficiente para lidar com tarefas rotineiras (navegação na web, leitura de emails e redes sociais) de forma suave e sem engasgos.

De acordo com Sinclair, o Moto E consegue ser mais rápido do que o Samsung Galaxy S4 em alguns momentos – como na hora de iniciar o navegador-padrão (0,9 segundo mais ágil) e de retornar à tela inicial (diferença de 0,4 segundo).

O executivo também destacou o display do Moto E, que é 23% maior do que a média adotada por aparelhos baratos (que geralmente são de 3,5 polegadas) e com uma nitidez muito superior (960x540 pixels de resolução e 256 dpi de densidade). De fato: 4,3 polegadas é um tamanho de tela razoável para gadgets dessa faixa de preço e o Moto E se mostra uma excelente opção para quem gosta de reproduzir vídeos em qualquer lugar.

Câmera: o básico e nada mais

Ao testarmos a câmera do aparelho, nos deparamos com o primeiro – e aparentemente o único – ponto fraco do Moto E. Quem gosta de tirar fotos pode ficar um pouquinho decepcionado com o modelo, que não possui um autofoco muito apurado e não consegue registrar imagens nítidas em curta distância (nada de fotografia macro por aqui!).

É claro que não podemos ser muito exigentes nesse quesito ao analisar um dispositivo que custa R$ 529, mas vale ressaltar que será extremamente difícil tirar fotos de objetos pequeninos usando o Moto E. Vale observar que, ao menos, o celular vem equipado com o mesmo app de câmera nativo do Moto G, no qual basta tocar em qualquer parte da tela para tirar uma foto.

Android limpo e atualização garantida!

Não gosta de interfaces poluídas e celulares cheios de apps do fabricante? Tranquilize-se: o Moto E vem equipado com Android puro e com pouquíssimos softwares próprios da Motorola (como o Alerta e o Assist).

A parte mais legal, contudo, é a garantia da empresa de que o produto receberá a próxima atualização do sistema operacional da Google. Isso é algo que certamente tranquiliza os possíveis consumidores do produto, que não sofrerão com aquele medo clássico de que seu smartphone fique preso em uma versão ultrapassada do SO.

TV digital: a exclusividade dos brasileiros

Também não poderíamos deixar de comentar sobre duas características do Moto E voltadas especialmente para os mercados emergentes: duas entradas para chips SIM e receptor de TV digital (recurso exclusivo para o mercado brasileiro e da versão com preço sugerido de R$ 599).

Com isso, você consegue assistir a canais abertos em qualquer lugar que esteja sem a necessidade de estar conectado à internet. Para melhorar o sinal televisivo, o usuário pode usar uma pequena antena flexível inclusa na caixa do celular – sendo possível conectar um fone de ouvido no topo de tal componente. Quer gravar alguma programação? Sem problemas: o Moto E consegue salvar tudo o que está sendo exibido em arquivos no formato MP4.

Falando no dual chip, é interessante ressaltar o recurso exclusivo que foi batizado simplesmente como “Chamada Inteligente”. Funciona assim: o Moto E identifica automaticamente qual é a operadora de seus contatos e determina qual dos dois chips inseridos é o melhor para efetivar aquela ligação —perfeito para quem costuma se esquecer de alterar o SIM utilizado antes de telefonar para aquele amigo usando seus créditos bônus.

Capinhas e mais capinhas

Todo mundo gosta de personalizar seu celular, e a Motorola pensou nisso ao projetar o Moto E. O aparelho é compatível com uma infinidade de capinhas coloridas que estarão à venda junto com o smartphone – sendo que o modelo com TV digital acompanhará duas cases adicionais como brinde.

Em entrevista ao TecMundo, Sinclair afirma que cada país terá a liberdade para criar um “bundle” do Moto E com capinhas e brindes de sua escolha – no México, por exemplo, o novo produto acompanha uma case do tipo flip, que também protege a tela do dispositivo.

Um aparelho surpreendente – em todos os sentidos

Em resumo, nossas primeiras impressões sobre o Moto E foram as melhores possíveis. O ponto que mais nos chamou a atenção foi de fato a construção do aparelho: trata-se de um gadget bem barato, mas com um corpo resistente e muito confortável de se segurar. A atualização garantida para a próxima versão do Android e o receptor de TV digital são outras características que chamam a atenção no novo eletrônico da Motorola.

O segmento de aparelhos de baixo custo anda bem disputado entre grandes companhias de tecnologia: vale lembrar que a LG também revelou sua nova família de smartphones baratos no final do mês passado. O Moto E tem tudo para entrar com tudo nessa briga e conquistar os consumidores brasileiros que não estão dispostos a pagar mais de R$ 2 mil em um aparelho top de linha.

Fique de olho no TecMundo, pois em breve publicaremos uma análise completa e caprichada sobre o novo produto. Enquanto isso, deixe sua opinião no campo de comentários: você acha que a Motorola vai dominar o mercado dos aparelhos acessíveis?

Cupons de desconto TecMundo: