O Moto X chegou à nova geração. Conheça em detalhes um de seus sucessores, o Moto X Play.

Os smartphones da Motorola chegaram à nova geração. Apresentados nos mês de julho de 2015 em um evento que teve como um dos palcos a cidade de São Paulo – o que mostra como a empresa se preocupa com o mercado brasileiro –, os novos aparelhos prometem fazer um estrago em todas as categorias que disputarão e solidificar os bons resultados que a companhia tem obtido nos últimos anos.

Na nova geração do Moto X, a empresa optou por dividir as coisas. Em vez de apenas um smartphone, agora dois aparelhos vão fazer parte dessa linha: o Moto X Play e o Moto X Style. Além deles, o Moto G também recebeu um upgrade, aquecendo a disputa no mercado de dispositivos intermediários. O TecMundo já teve a oportunidade de analisar a terceira geração do Moto G. O intermediário da Motorola se destaca pelas mudanças no design, personalização através do Moto Maker, suporte ao 4G e a resistência à água da certificação IPX7. Agora, chegou a vez do próximo da lista: o Moto X Play.

O sucessor do Moto X lançado em 2014 apresenta uma proposta inusitada: ocupar o pequeno espaço existente entre a categoria de dispositivos intermediários e top de linha. O hardware relativamente modesto – especialmente quando comparado ao antecessor – e a manutenção do preço são as provas disso. Porém, o smartphone reserva algumas novidades interessantes: uma câmera poderosa, suporte à cartão micro SD e uma bateria com supercapacidade são os destaques. Mas será que vale a pena investir o seu dinheiro nesse aparelho?

Especificações

  • Sistema operacional
  • Android 5.1.1 (Lollipop)
  • Tela
  • LCD TFT de 5,5 polegadas com proteção Gorilla Glass 3
  • Resolução de tela
  • 1920x1080 pixels (Full HD)
  • Densidade de pixels
  • 403 ppi
  • Chipset
  • Qualcomm Snapdragon 615
  • CPU
  • Quad-core de 1,7 GHz + quad-core de 1 GHz
  • GPU
  • Adreno 405
  • Memória RAM
  • 2 GB
  • Armazenamento interno
  • 16 GB ou 32 GB
  • Armazenamento externo
  • cartão micro SD 128 GB
  • Câmera traseira
  • 21 MP
  • Câmera frontal
  • 5 MP
  • Bateria
  • 3.630 mAh
  • Conectividade
  • 802.11 a/g/b/n, Bluetooth 4.0, micro USB, NFC e GPS (A-GPS e GLONASS)
  • Sensores
  • acelerômetro, bússola, giroscópio e proximidade
  • Extras
  • carregamento TurboPower 15, certificação IP52 (proteção contra respingos d'água) e Dual SIM (nano-SIM)
  • Dimensões
  • 148 mm (altura) x 75 mm (largura)
  • Espessura
  • 10,9 mm
  • Peso
  • 169 gramas
  • Preço de lançamento
  • a partir de R$ 1.399
Comparativo

Na nova geração, o Moto X Play mostrou diferenças significativas em relação ao seu antecessor. A começar pelo design: em vez de manter boa parte do visual na parte de trás, a Motorola optou por trazer linhas mais retas e discretas para o aparelho mais recente. A opção de materiais diferentes para a tampa traseira passar a existir apenas no Moto X Style.

Outra diferenciação é o hardware, que no Moto X Play é "mais fraco" que no Moto X lançado em 2014. Esse detalhe, entretanto, é melhor percebido ao observarmos os testes de benchmarks dos dois aparelhos. Quando o assunto é a experiência, ambos apresentam a mesma sensação características de aparelhos top de linha e equipados com o Android puro da Google.

Comparativo entre os modelos

O display também mudou. Em vez de manter o AMOLED presente no Moto X, a Motorola resolveu apostar no LCD TFT, aumentando o tamanho da tela de 5,2 para 5,5 polegadas. Com a manutenção da resolução Full HD, o resultado foi uma leve redução na densidade de pixels – de 423 ppi para 403 ppi. Para acomodar o aumento no display – e na bateria – o Moto X Play também é mais robusto que seu antecessor.

Por fim, podemos destacar as principais melhorias apresentadas pela nova geração. O Moto X Play possui uma câmera de melhor qualidade e maior resolução. Com 21 MP na parte traseira, o sensor fabricado pela Sony ainda é acompanhado de um flash duplo com tecnologias para correção de temperatura de cor.

O novo smartphone da Motorola ainda é dual SIM e conta com suporte à cartão micro SD – algo que fez falta no Moto X de 2014 – com a impressionante capacidade de expandir a memória em até 128 GB. Mas o principal destaque do Moto X Play é a sua bateria. Com incríveis 3.630 mAh, a empresa garante que esse smartphone é capaz de aguentar até 36 horas de uso moderado sem pedir uma nova recarga.

Design

Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play

As mudanças visuais no Moto X Play concentraram-se basicamente na parte traseira do smartphone, com alterações importantes quando comparado ao seu antecessor. Atrás, a parte superior ligeiramente curvada do Moto X de 2014 deu lugar a uma linha reta e mais discreta. Esse pequeno detalhe tira um pouco do aspecto chamativo que o aparelho tinha antes – e que foi mantido no Moto X Style e transferido para o Moto G.

Ainda na parte traseira, o Moto X Play traz aquele detalhe característico – que ocupa a logomarca, o flash e a câmera – dos novos aparelhos das linhas Moto. Apesar de desagradar aqueles que gostavam do anel de difusão de flash do Moto X, essa mudança é importante para permitir a personalização através do Moto Maker.

A variedade de materiais para a tampa traseira também foi algo que a Motorola sacrificou para o Moto X Play. Agora, encontramos apenas um material plástico com uma rugosidade bastante característica e muito bonita. A carcaça em couro legítimo Saffiano da Horween e madeira genuína ficaram reservadas para o Moto X Style.

Na parte da frente, o Moto X Play é idêntico ao seu antecessor e todos os componentes ocupam praticamente a mesma posição de antes. Porém, vale ressaltar que, por conta de algumas mudanças nessa nova geração – principalmente tela e bateria –, o novo smartphone é mais robusto que o Moto X 2014. Ele é mais alto (140,8 mm para 148 mm), largo (72,4 mm para 75 mm), espesso (10 mm para 10,9 mm) e pesado (144 gramas para 169 gramas).

Nas bordas, a posição dos componentes também manteve-se a mesma. O botão de energia – que manteve a rugosidade – e o de volume continuam na lateral direita. Na parte de baixo, a entrada USB permanece centralizada, e na borda superior encontrados a entrada do fone e o slot para os chips SIM e cartão micro SD. Aqui vale um elogio para o formato que a Motorola criou para a gaveta desses componentes.

Moto Maker

Assim como aconteceu com o Moto G de terceira geração, a personalização através do Moto Maker também estará disponível para o Moto X Play. No site da Motorola, os consumidores poderão escolher entre um aparelho com 16 ou 32 GB de armazenamento interno.

Além disso, também será possível optar por cores diferentes para a tampa e o detalhe traseiro, fazer uma gravação na carcaça e comprar Moto Shells e acessórios adicionais. A Motorola também oferece o smartphone em um kit chamado Colors, que já inclui duas Moto Shells intercambiáveis.

Opções de customização

Resistência à respingos d’água

O Moto X Play conta com uma tecnologia de nano revestimento que protege o dispositivo contra exposições rápidas à água. Isso se traduz na cerificação IP52, que é diferente da encontrada na terceira geração do Moto G 2015 (IPX7), mas pode proteger o smartphone contra derramamentos acidentais de líquidos, respingos ou chuva leve.

Parte de trás do aparelho

Tela

O display do Moto X Play é um dos pontos que mais gerou polêmica logo após o anúncio do smartphone. Em vez de manter o painel AMOLED, a Motorola resolveu apostar em uma tela LDC TFT – para o descontentamento de alguns. Para os que não sabem, o “Thin Film Transistor Liquid Crystal Display” (TFT LCD ou tela de cristal líquido e transistor de filme fino, em tradução livre) é uma tecnologia com custo de produção mais baixo, mas que consume mais energia quando comparado ao IPS.

Já o “In-Place Switching” é uma otimização da TFT. Nessa tecnologia, os cristais são estimulados eletricamente, resultando em ângulos de visão mais amplos e um consumo de energia mais baixo. O painel AMOLED, diferente do IPS e TFT, é derivado do OLED e representa uma verdadeira evolução do TFT. Seu funcionamento baseia-se em diodos independentes que produzem luz própria, o que pode representar uma grande economia de energia, especialmente em fundos pretos em que os pixels estão apagados e não precisam ser alimentados.

Tela Design

Porém, apesar do evidente retrocesso, a troca não é o suficiente para comprometer a experiência de uso do Moto X Play. A tela do smartphone ainda é capaz de exibir um contraste bem equilibrado e uma nitidez muito boa. Mesmo observando bem de perto, é difícil perceber os pixels por causa da alta densidade que o display apresenta.

Mesmo apostando em um painel TFT, o ângulo de visão ainda é razoável. O que favorece o aparelho nesse sentido são as boas configurações de brilho e a possibilidade de realizar uma calibração de cores. Essa nova para a linha Moto X, batizada de Modo Cor, permite uma exibição normal – exibindo cores mais realistas – ou com maior intensidade – com cores aprimoradas e mais saturação.

Parte de trás do aparelho

A Motorola também optou por manter a resolução Full HD, mas aumentou o display diagonalmente de 5,2 para 5,5 polegadas. Esse pequeno detalhe causa uma leve redução na densidade de pixels – de 423 ppi para 403 ppi –, algo praticamente imperceptível para os olhos da maioria dos usuários.

A manutenção da resolução tem como objetivo a economia de energia. Vale lembrar que o Moto X Style terá um display Quad HD (1440p ou 1440x2560 pixels). A tela do Moto X Play ainda é protegida pela tecnologia de vidro Gorilla Glass 3, adição da Corning para evitar o surgimento de riscos e arranhões indesejáveis na parte da frente do dispositivo.

Interface

Uma das grandes vantagens da linhas Moto em relação a outras fabricantes que utilizam o Android é o fato de os aparelhos virem equipado com a versão pura do SO. A ausência das tradicionais modificações no Moto X Play torna a interface mais fluida e leve, mas sem deixar de lado a grande possibilidade de personalização através de outros aplicativos, uma característica bacana desse sistema operacional.

O Moto X Play conta com alguns apps e funcionalidades pré-instaladas, mas que podem ser muito úteis aos usuários e não servem apenas para ocupar espaço. Esse é o caso dos aplicativos Moto (Moto Assist, Moto Ações, Moto Voz, Moto Tela) e o Migração Motorola.

Parte de trás do aparelho
  1. Moto Assist: com essa funcionalidade, o Moto X Play percebe quando você está no carro, no trabalho ou em casa e se adapta a cada situação. Quando você está dormindo, por exemplo, o aparelho só vai tocar as chamadas de contatos favoritos. O smartphone também se mantém no modo silencioso quando você está em reunião e pode responder automaticamente com uma mensagem de texto às chamadas recebidas. O usuário ainda pode acrescentar novos lugares, como "Casa", "Trabalho" ou "Faculdade". Além disso tudo, o Moto X Play pode ler mensagens em voz alta quando você estiver em casa ou em outros lugares predeterminados.
  2. Moto Ações: esse recurso permite realizar tarefas com gestos. Para acionar a câmera instantaneamente, por exemplo, basta girar o pulso duas vezes de forma bem rápida.
  3. Moto Voz: com essa funcionalidade, você pode fazer muita coisa e sem ter que tocar no seu celular. Você pode obter direções, configurar um alarme, tocar músicas e reproduzir vídeos. Você ainda pode acrescentar um toque de sua personalidade, criando seu próprio comando de voz customizado – como, "OK, Moto X Play", "Acorde amigo" ou algo do tipo.
  4. Moto Tela: esse recurso oferece um resumo simples e discreto de notificações no Moto X Play. Basta tocar na tela do aparelho para checar as novidades de acordo com sua conveniência. Com o aplicativo, é possível tocar ou pausar músicas no Play Music ou rádio FM sem ter que destravar o smartphone.

Hardware

Desempenho

Com esse lançamento da Motorola, muitos podem acabar se enganando, mas é bom deixar bem claro: o Moto X Play não é mais potente que seu antecessor. Além de trazer um hardware mais modesto, esse smartphone perde em todos os benchmarks quando comparado à segunda geração do Moto X. Em alguns dos testes – especificamente o 3DMark – percebemos que o aparelho obteve uma pontuação anormal e bem abaixo dos concorrentes, o que pode indicar algum problema de otimização ou falha do próprio aplicativo.

É importante esclarecer esse ponto para aqueles que querem apostar nesse smartphone achando que vão leva m aparelho mais parrudo que o seu antecessor. Porém, isso não significa que o Moto X Play apresente um desempenho ruim. O aparelho é capaz de executar praticamente todos os apps da Google Play, além de aplicativos simultaneamente e jogos pesados.

Confira nossos testes de benchmark.

AnTuTu Benchmark 5

Esse aplicativo é um dos mais completos da categoria quando se trata de analisar o hardware de um aparelho. O AnTuTu Benchmark 5 faz testes de interface, CPU, GPU e memória RAM. Pontuações maiores representam um desempenho melhor.

  • Samsung Galaxy S6 Edge: 69.997

  • Apple iPhone 6 Plus: 49.807

  • LG G4: 48.069

  • ASUS Zenfone 2: 47.449

  • Motorola Moto X (2014): 43.893

  • Motorola Moto X Play: 34.529

Vellamo Mobile Benchmark

Essa opção é bastante versátil por oferecer dois testes para os aparelhos: o HTML5 e o Metal. No primeiro deles, o desempenho do smartphone para navegação na web é colocado à prova. No Metal, o processador é avaliado, e uma nota final é atribuída à sua performance. Maiores pontuações indicam um melhor desempenho.

Browser

  • Samsung Galaxy S6 edge: 6.642

  • LG G4: 4.227

  • Motorola Moto X (2014): 3.477

  • ASUS Zenfone 2: 3.184

  • Motorola Moto X Play: 2.351

Metal

  • Samsung Galaxy S6 edge: 2.638

  • LG G4: 2.314

  • Motorola Moto X (2014): 1.656

  • ASUS Zenfone 2: 1.335

  • Motorola Moto X Play: 1.171

3D Mark (Ice Storm Unlimited)

O 3D Mark é um dos testes de benchmark mais conceituados do mercado. Para a análise do Xperia E4, executamos o Ice Storm Unlimited, uma das opções oferecidas pelo aplicativo. Quanto maior a pontuação, melhor o desempenho.

  • Samsung Galaxy S6 edge: 22.046

  • ASUS Zenfone 2: 19.897

  • Motorola Moto X (2014): 19.436

  • LG G4: 18.463

  • Apple iPhone 6 Plus: 17.846

  • Motorola Moto X Play: 8.056

Basemark X

Com foco principal na medição da qualidade gráfica de dispositivos, o Basemark X é baseado na Unity 4 e aplica testes de alta densidade para determinar qual dispositivo se sai melhor na execução de jogos. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho demonstrado.

  • Samsung Galaxy S6 edge: 38.758

  • Motorola Moto X (2014): 25.412

  • LG G4: 24.921

  • ASUS Zenfone 2: 19.391

  • Motorola Moto X Play: 10.679

GFX Bench (T-Rex HD)

O GFXBench é um aplicativo de testes multiplataforma que analisa o poder de processamento gráfico e computacional dos aparelhos. A API gráfica utilizada é o OpenGL ES e os testes se dividem em várias categorias diferentes. Para que seja possível comparar aparelhos de sistemas diferentes, utilizamos os testes sinalizados como “offscreen”, em que a resolução de todos é travada em 1080p internamente. Quanto maior a pontuação, melhor é o desempenho.

  • Samsung Galaxy S6 edge: 59

  • Apple iPhone 6 Plus: 44,3

  • LG G4: 35

  • ASUS Zenfone 2: 30

  • Motorola Moto X (2014): 27,5

  • Motorola Moto X Play: 14

Desempenho em jogos

Apesar de trazer um hardware mais fraco que seu antecessor, o Moto X Play apresenta um excelente desempenho em jogos pesados. No smartphone, testamos títulos como Grand Theft Auto: San Andreas, Need for Speed Most Wanted, O Cavaleiro das Trevas Renasce, Scribblenauts Remix, Minecraft – Pocket Edition, Goat Simulator, O Espetacular Homem-Aranha 2, Real Racing 3, N.O.V.A. 3 – Near Orbit Vanguard Alliance, Need for Speed No Limits, Asphalt 8: Airborne e alguns outros bastante exigentes.

Angry Birds

Jogos casuais e mais leves evidentemente também rodaram com muita tranquilidade. Títulos como Angry Birds 2, Plants vs. Zombies 2, Crossy Road, Sonic Dash e Cut the Rope 2 executaram sem nenhum problema. Vale mencionar que, mesmo rodando muito games, o Moto X Play não apresenta um aumento de temperatura que chegue a incomodar a mão do usuário.

Entretanto, a execução de jogos – como em qualquer outro smartphone – pode reduzir drasticamente o nível da bateria em apenas algumas horas. Apesar de trazer uma supercapacidade para esse componente, o Moto X Play não escapa dessa regra. Se você está precisando economizar na carga, é bom evitar games em seu aparelho.

Câmera

Apesar de ainda não ter acertado em cheio, a Motorola mostra que tem obtido avanços significativos quando o assunto é a câmera de seus smartphones. O Moto X Play traz um sensor fabricado pela Sony e é capaz de produzir fotos de boa qualidade quando o ambiente está bem iluminado. Em fotos noturnas, percebemos algumas granulações, mas os resultados ainda são satisfatórios.

O aumento na resolução para 21 MP fez com que as fotos ficassem bem maiores quando comparado ao antecessor (5248 x 3936 pixels). A câmera frontal possui qualidade razoável e é ideal para a captura de selfies básicas e a realização de videochamadas. Confira a galeria abaixo com algumas imagens capturadas como o Moto X Play.

Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play Fotos Moto X Play

O smartphone ainda conta com os modos básicos presentes nos smartphones da Motorola: HDR, noturno e panorama, além do controle manual de foco e exposição. O flash duplo ainda possui uma tecnologia de correção de temperatura de cor, equilibrando a luz quente e fria e resultando em imagens menos estouradas.

Bateria

Apesar dos investimentos da Motorola em vários aspectos do Moto X Play, o principal destaque desse aparelho é mesmo a bateria. Com uma capacidade surpreendente – 3.630 mAh –, a empresa garante que o smartphone é capaz de aguentar até 36 horas de uso moderado – de acordo com os padrão da própria companhia, que inclui um perfil médio e padrão de uso.

Em nossos testes, realmente conseguimos usar o aparelho por dois dias inteiros usando redes sociais, mensageiros, fazendo ligações e rodando alguns jogos ocasionalmente. Mesmo com esse uso moderado, o Moto X Play ainda chegou à manhã do terceiro dia com cerca de 20% da carga sobrando.

No teste de benchmark de bateria – o PCMark for Android Benchmark – com o brilho no médio, o Moto X Play se saiu melhor que todos os outros smartphones, incluindo o Moto Maxx, que possui uma bateria de maior capacidade – impressionantes 3.900 mAh.

  1. Moto X (2014): 5h35
  2. Moto Maxx: 8h37
  3. Moto X Play: 9h20

O Moto X Play ainda conta com a tecnologia de carregamento Turbo da Motorola capaz de completar uma carga em pouco mais de duas horas. Essa funcionalidade, entretanto, está disponível apenas para o carregador que acompanha o smartphone e não funcional com um acessório tradicional sem as mesmas especificações técnicas.

Moto X Play

Áudio

Embora o Moto X Play traga dois alto-falantes frontais, apenas o inferior é usado para a reprodução de som multimídia. Assim como aconteceu na terceira geração do Moto G – cujo antecessor possuía som estéreo –, o áudio mono pode ser uma das maiores frustrações que os consumidores podem encontrar nesse aparelho da Motorola.

A experiência sonora é bastante agradável, com baixa distorção e volume bem alto. Porém, o som estéreo teria sido uma adição muito bem-vinda nesta geração do Moto X Play e tornaria a utilização do aparelho muito mais agradável, especialmente durante a execução de jogos e reprodução de vídeos.

Moto X Play

Os fones de ouvido que acompanham o smartphone são os mesmos que estavam presentes no Moto X lançado em 2014. O acessório é muito bonito, confortável e apresenta uma qualidade sonora razoável. O formato pode desagradas alguns, mas é uma tendência que fica entre o que vemos nos fones tradicionais e aqueles intra-auriculares.

Vale a Pena?

Se você estava pensando em investir no Moto X Play achando que vai levar um smartphone com hardware de ponta e melhor que o Moto X lançado em 2014, é melhor rever suas opções. O aparelho oferece uma ótima experiência de uso – especialmente se considerarmos o Android puro e a bateria de longa duração – e não deve decepcionar a maioria dos usuários.

Entretanto, ele não traz muitos benefícios para quem ainda está usando seu antecessor. Para aqueles que estão com o Moto X 2014, a aquisição do Moto X Play não é uma compra que vale a pena, principalmente se considerarmos o desempenho inferior do modelo mais recente. A mudança no design também pode desagradar alguns, especialmente aqueles que gostam da ideia de utilizar materiais diferentes na construção da tampa traseira.

Moto X Play

Agora, se você está pesquisando um novo smartphone para substituir algo mais antigo, o Moto X Play é uma ótima opção. Com esse lançamento, a Motorola pretende preencher o pequeno espaço existente entre a categoria de aparelhos intermediários e top de linha. Portanto, a experiência de uso também vai permanecer entre essas duas margens.

Quando comparado à concorrentes diretos do mercado – como o Zenfone 2, que compartilha até uma janela de lançamento semelhante –, o Moto X Play perde quando o assunto é desempenho. O smartphone da ASUS se destaca pela presença de 4 GB de memória RAM, um verdadeiro exagero e que deve garantir uma vida longa ao dispositivo.

Moto X Play

Porém, o Moto X Play se destaca por causa da bateria, bem superior ao Zenfone 2 no aplicativo PCMark for Android Benchmark:

  1. ASUS Zenfone 2: 6h55
  2. Motorola Moto X Play: 9h20

Outro ponto no qual o Moto X Play se sai melhor é a experiência oferecida pela interface. Equipado com a última atualização do Android puro e livre de customizações, o smartphone é ideal para aqueles que não suportam ver aplicativos indesejados pré-instalados e que não podem ser removidos.

Apesar de não trazer melhorias significativas em relação ao antecessor e perder em desempenho quando comparado ao Zenfone 2, o Moto X Play definitivamente vai encontrar seu público e conquistar novos usuários por causa de sua bateria poderosa e a experiência do Android pura, que é característica da marca.

FAQ - Perguntas e Respostas

1. O Moto X Play é a prova d'água?

Não, o Moto X Play não é a prova d'água. A certificação do aparelho é a IP52, o que garante proteção contra derramamentos acidentais de líquidos, respingos ou chuva leve. O smartphone não pode ser mergulhada em água.

2. O som do Moto X Play é estéreo?

Não, o som do Moto X Play é mono e apenas o alto-falante inferior é usado para reproduzir som multimídia.

3. A tela LCD TFT do Moto X Play é ruim?

Apesar de ser tecnicamente inferior ao LCD IPS e ao AMOLED do Moto X lançado em 2014, a tela do Moto X Play possui uma qualidade muito boa. Em um comparativo direto com o antecessor, é possível perceber um contraste e nitidez menos acentuado, mas nada que comprometa a experiência.

4. O Moto X Play esquenta muito?

A única situação em que conseguimos elevar bastante a temperatura do Moto X Play foi durante a execução de jogos e carregamento da bateria. Porém, em nenhum dos casos, o aumento chega a incomodar a utilização do aparelho.

5. Qual é a diferença entre o Moto X Play e o Moto X Style?

Enquanto o Moto X Play possui uma tela de 5,5 polegadas e resolução Full HD, o Moto X Style tem display de 5,7" e resolução QHD (2560x1440 pixels). O chipset, CPU, GPU e quantidade de memória RAM também muda, com vantagens para o X Style por causa do hardware mais parrudo. No entanto, a bateria do Moto X Play tem maior capacidade (3.630 mAh contra 3.000 mAh).

7. Qual é a tecnologia de geolocalização que o Moto X Play utiliza?

De acordo com a Motorola, o Moto X Play possui os seguintes serviços de localização: GPS, A-GPS e Glonass.

8. Quando o Moto X Style será lançado no Brasil?

O Moto X Style será oficialmente lançado no dia 3 de setembro de 2015.

Comentários

Design: Saito Takeuchi

Redação: Eduardo Harada

Vídeo: Rodrigo Vana